Economia

Prazo para sacar PIS/Pasep 2015 acaba amanhã

Um total de 43.670 baianos ainda não sacou o PIS/Pasep, cujo prazo para retirada termina amanhã e, segundo o Ministério do Trabalho, não haverá nova prorrogação. O montante em dinheiro soma R$ 31,7 milhões. Em todo o Brasil, 1,4 milhão de trabalhadores não tinham sacado seu benefício até novembro (últimos dados oficiais). O valor total disponível soma R$ 979,54 milhões.

Para ter direito ao abono salarial ano-base 2015, o trabalhador formal precisa estar enquadrado nos seguintes critérios: vínculo formal a uma empresa ou órgão público por pelo menos 30 dias em 2015; remuneração média de até dois salários mínimos no período trabalhado; inscrição no PIS há pelo menos cinco anos; e ter seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, alerta para o encerramento do prazo. “Quem ainda não viu se tem direito, procure os bancos ou ligue para o telefone 158 do Ministério do Trabalho. Se informe, e se tiver direito ao benefício não deixe de sacar o dinheiro que pode ajudar a colocar as contas em dia neste final de ano”, alerta.

O chefe de divisão do abono salarial do ministério, Márcio Ubiratan, explica que o valor que cada trabalhador tem a receber é proporcional à quantidade de meses trabalhados. Quem trabalhou o ano todo recebe o valor na íntegra. Quem trabalhou um mês, por exemplo, recebe 1/12 do valor.

Os pagamentos variam de R$ 79 a R$ 937. Os trabalhadores da iniciativa privada, vinculados ao PIS, sacam o dinheiro nas agências da Caixa ou lotéricas. Já os servidores públicos, vinculados ao Pasep, sacam no Banco do Brasil.

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Economia

Projeto estabelece teto para pagamento de dívida previdenciária

Em 2005, a Lei 11.196/05, que estabeleceu condições especiais (isenção de multas e redução de 50% dos juros de mora)
Economia

Representação Brasileira vota criação do Banco do Sul

Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela, além do Brasil, assinaram o Convênio Constitutivo do Banco do Sul em 26