Economia

Dólar fecha em queda, abaixo de R$ 3,30 nesta segunda-feira (18)

O dólar fechou em queda nesta segunda-feira (18), abaixo do patamar de R$ 3,30, acompanhando a trajetória da moeda norte-americana no exterior à espera do desfecho do projeto de reforma tributária norte-americano.

O movimento também veio após a reforma da Previdência ser adiada para fevereiro de 2018, o que acabava levando o mercado a fazer pequenos ajustes agora após ter reagido com alta às dificuldades que o governo enfrentou ao tentar votar a matéria ainda neste ano.

A moeda norte-americana encerrou a sessão em queda de 0,31%, vendida a R$ 3,2979. 

"A confirmação de que a reforma da Previdência será votada em fevereiro de 2018… retira certa medida do componente especulativo… e justifica o desmonte de parte das posições protecionistas armadas nas últimas semanas em meio às incertezas", afirmou a corretora Correparti em relatório.

A expectativa sobre se a reforma da Previdência seria ou não votada ainda este ano fez o dólar registrar uma sequência de altas neste mês que culminou com a moeda no maior nível de fechamento em quase seis meses, a 3,3365% na última quinta-feira.

Os investidores, agora, devem passar dias de menor estresse com o noticiário político em meio ao recesso parlamentar e mais voltados para o cenário externo, onde a expectativa recaia sobre a reforma tributária do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O Banco Central vendeu o total de até 14 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de janeiro. Até agora, rolou o equivalente a US$ 8,4 bilhões do total de US$ 9,638 bilhões que vencem no mês que vem.

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Economia

Projeto estabelece teto para pagamento de dívida previdenciária

Em 2005, a Lei 11.196/05, que estabeleceu condições especiais (isenção de multas e redução de 50% dos juros de mora)
Economia

Representação Brasileira vota criação do Banco do Sul

Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela, além do Brasil, assinaram o Convênio Constitutivo do Banco do Sul em 26