Cidades

Vídeo grava professora dando ‘gravata’ em aluno para tirar celular

Uma professora foi flagrada em vídeo registrado por um aluno no momento em que ela utilizou uma "gravata" (movimento que usa o braço no pescoço do adversário) para tomar o celular de um aluno na E.M.E.F. Ministro Synésio Rocha, na Zona Sul de São Paulo. O caso ocorreu na quarta-feira (12).

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (SME) diz que a docente foi afastada.

"Em decorrência dos fatos ocorridos no dia 12 de agosto, a direção da unidade determinou imediato afastamento da professora das atividades escolares e abertura de processo de Apuração Preliminar para o caso, a fim de que a servidora responda pela ação, conforme legislação vigente", afirmou a SME.

As imagens compartilhadas por alunos de uma turma da 6ª série nas redes sociais mostra o momento em que a professora se aproxima do aluno de 12 anos para pegar o celular. Primeiro, o jovem sobe sobre a mesa. Depois da recusa, a professora inicia uma contagem regressiva até 10. Ao tentar retirar o celular, ela dá uma gravata no aluno, enquanto os colegas de classe pedem calma para a docente.

Segundo a secretaria, embora a Lei nº 14.974/2009 proíba o uso de aparelhos celulares em salas de aula na Rede Municipal de Ensino, a postura da professora foi inadequada. A SME diz que todas as ações das escolas e das Diretorias Regionais de Educação devem ter como pressuposto a garantia dos direitos dos educandos e adolescentes, conforme rege a Lei nº 8.060/1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Fonte: G1

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Cidades

Fifa confirma e Valcke não vem ao Brasil no dia 12

 Na visita, Valcke iria a três estádios da Copa: Arena Pernambuco, na segunda-feira, Estádio Nacional Mané Garrincha, na terça, e
Cidades

Brasileiros usam 15 bi de sacolas plásticas por ano

Dar uma destinação adequada a essas sacolas e incentivar o uso das chamadas ecobags tem sido prioridade em muitos países.