Cidades

Parada da Diversidade de Cuiabá será realizada nesta sexta-feira

Foto: Mary Juruna / Arquivo CMT

“Ame. Viva. Tenha orgulho”. Este é o tema da 13ª edição da Parada da Diversidade de Cuiabá, que na tarde desta sexta-feira (04) promete tomar as ruas do centro da capital com as cores do arco-íris, representando o orgulho e a luta por igualdade de direitos da comunidade LGBTT.

A expectativa dos organizadores da Parada é que quatro mil pessoas – entre LGBTT’s e simpatizantes – participem do evento. Além de ser um momento festivo, a passeata tem cunho político, para chamar a atenção da sociedade e do Poder Público quanto à violência e preconceito contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros.

A concentração da Parada está marcada para as 14h, na Praça Ipiranga, região central de Capital. Em seguida, o grupo segue em passeata pela Avenida da Prainha, sobem a Avenida Getúlio Vargas, até a Praça 8 de Abril e descem pela Avenida Isaac Póvoas. Em seguida, seguem na Avenida Barão de Melgaço e param na Praça Moreira Cabral, em frente a Câmara de Vereadores de Cuiabá, local em que será montado um palco para a apresentação das atrações culturais, que seguem das 18h30 às 21h.

“A Parada é um ato político e assim será, mas não deixaremos de lado a alegria. A marca da parada é dar visibilidade. As pessoas que falam que “A parada é uma micareta fora de época”, elas não fazem críticas ao carnaval à outras micaretas. Se eles quiserem chamar de micareta até podem, mas a nossa “micareta” é uma micareta da cidadania, para além da festa da alegria, a reinvindicação pelo nosso direito e dizer que nós existimos dá visibilidade à população LGBT é um ato político”, afirmou o mestre em Educação e militante do movimento LGBTT, Clóvis Arantes. 

A festa da celebração do respeito, do amor e da igualdade dentro da diversidade contará com um leque de atrações culturais. Entre elas, estão as apresentações das cantoras Pietra Mello, Stheffani Theto, da dupla Sarah e Lívia, e do cantor cuiabano Hendson Santana – que irá presentear o público com uma canção autoral inédita intitulada "Ponto Ou Vírgula", que aborda o preconceito e a temática LGBT.

A rapper Kessdy Kess também pretende despertar a atenção da população para a luta contra o machismo e o racismo com músicas que apresentam em suas letras a realidade crua de quem os enfrenta.

Na Parada, a dança ganhará reforço com a performance do grupo Stiletto e das drag queens Elza Brasil, Petilaine Queen, Dani Grazi, Sarah Michigan, Alice Brasil e Nathy Drumont. Além da presença da vencedora do concurso Drag Race, Monyka Houston.

Diversas surpresas estão sendo programadas para o dia do evento, que é uma realização da ONG Livre-Mente e conta com o apoio do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual (CMADS), do Movimento Estudantil, de Sindicatos e do Poder Público. Assim como, da LIBLES e da ASTRAMT de Cuiabá. 

Segurança

Para assegurar a tranquilidade durante todo o evento, o 1° Batalhão da Polícia Militar disponibilizou 56 militares que irão acompanhar a população, trabalhando de forma integrada com os agentes de trânsito do município e com a Polícia Judiciária Civil. 

Alguns cuidados devem ser observados pelos participantes, lembrou o secretário executivo do Greco, Rodrigues Amorim. “Estamos trabalhando para que não haja nenhum tipo de ocorrência, mas, se houver, é importante que as pessoas sigam essas orientações”: 

– Em caso de algum ato de violência, procure o policial mais próximo ou ligue para o Centro de Referência em Direitos Humanos (65-3624-4730) para receber orientações sobre seus direitos, endereços de delegacias próximas e outras informações úteis; 

– Colha nomes e dados de pessoas que tenham presenciado a violência para servirem de testemunhas no Inquérito Policial ou Termo Circunstanciado de Ocorrência; 

– Solicite ao policial que insira no Boletim de Ocorrência a homofobia como motivo presumido da violência e nome social, se for travesti ou transexual; 

– Com registro em mãos, entre novamente em contato com o Centro de Referencia em Direitos Humanos, que conta com suporte jurídico, social e psicológico, para que a entidade possa acompanhar o caso. 

Atualizada às 10h40min

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Cidades

Fifa confirma e Valcke não vem ao Brasil no dia 12

 Na visita, Valcke iria a três estádios da Copa: Arena Pernambuco, na segunda-feira, Estádio Nacional Mané Garrincha, na terça, e
Cidades

Brasileiros usam 15 bi de sacolas plásticas por ano

Dar uma destinação adequada a essas sacolas e incentivar o uso das chamadas ecobags tem sido prioridade em muitos países.