Economia

Dólar cai nesta quarta-feira, depois de subir quase 1% na véspera

O dólar operava em baixa ante o real nesta quarta-feira (13), após o anúncio da data do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em ação referente ao tríplex no Guarujá. Também influenciava o movimento reforçado pelo fechamento de questão do PSDB a favor da reforma da Previdência.

Às 12h59, o dólar recuava 0,74%, a R$ 3,3034 na venda, depois de subir quase 1% na véspera e acumular 3% de alta em quatro sessões.

Na véspera, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) informou ter marcado para 24 de janeiro de 2018 o julgamento de recurso de Lula. Uma condenação em segunda instância por órgão colegiado pode barrar a candidatura do ex-presidente, que lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial do ano que vem.

Entretanto, a reforma da Previdência continua no radar e mantém a cautela no ar diante das dificuldades do governo de colocar o texto em votação na Câmara dos Deputados ainda neste ano.

O presidente Michel Temer disse que o governo vai trabalhar até a próxima terça-feira para garantir os 308 votos necessários para aprovar a reforma, e ainda cobrou um "esforço concentrado" de empresários para pressionar os deputados.

A sessão também é marcada pela expectativa em torno do desfecho do encontro de política monetária do Federal Reserve. O banco central dos Estados Unidos deve elevar a taxa de juros, porém, mais do que isso, deve dar a mais forte indicação sobre como a reforma tributária da administração Trump pode afetar a economia norte-americana.

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Economia

Projeto estabelece teto para pagamento de dívida previdenciária

Em 2005, a Lei 11.196/05, que estabeleceu condições especiais (isenção de multas e redução de 50% dos juros de mora)
Economia

Representação Brasileira vota criação do Banco do Sul

Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela, além do Brasil, assinaram o Convênio Constitutivo do Banco do Sul em 26