Economia

Cuiabá avança na redução de burocracia para novos empreendimentos

Cuiabá saltou de 20ª para a 4ª posição dentre as capitais que mais geraram novos empreendimentos. Uma pesquisa sobre o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE) mostra avanço da capital em 2017 no quesito de ambiente regulatório, que inclui tempo gasto com burocracia e complexidade dos tributos, o principal fator que levou à subida. Na avaliação de análise e liberação de processos para abertura de empresas, Cuiabá passou de 28ª para 18ª, uma posição, no entanto, ainda distante das primeiras colocadas no País.

O ICE também avaliou as cidades nos aspectos de infraestrutura, mercado, acesso a financiamento, inovações e capital, em que Cuiabá se manteve com notas positivas. A pesquisa foi realizada pela ONG Endeavor.

O estudo analisou 32 cidades, incluindo as 12 mais populosas do país, que correspondem a mais de um quarto da população e cerca de 40% do PIB (Produto Interno Bruno) brasileiro.  As cidades participantes são as que concentram mais empresas de crescimento acelerado – aqueles cujo número de funcionários cresceu ao menos 20% ao ano, nos três anos seguidos. 

Atualmente, Cuiabá possui mais de 47 mil empresas com registros abertos. No período entre 2016 e 2017 a capital registrou 5.243 aberturas de empresas e 181 fechamentos, segundo dados da Junta Comercial do Estado de Mato Grosso (Jucemat).

Com saldo positivo de novos empreendimentos, a Capital entra na contramão da crise e vem reduzindo o quadro de desemprego mais rapidamente que a média nacional, que é de 13,5%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com população de 570 mil habitantes, o ICE levantou que o saldo de empregos em serviços e comércio criados ou perdidos em 2017 foi em -63 por 100 mil habitantes, em 12 meses, enquanto 2016 o saldo estava negativo em -435 por 100 mil habitantes. Uma média de 12%.

“Esperamos para os próximos anos, diminuir mais ainda estes números e colocar Cuiabá entre as capitais com mais baixo índice de desemprego. Estamos investindo em ações de capacitação de mão de obra, em que a população terá acesso sem custo algum”,  disse o prefeito Emanuel Pinheiro.

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Economia

Projeto estabelece teto para pagamento de dívida previdenciária

Em 2005, a Lei 11.196/05, que estabeleceu condições especiais (isenção de multas e redução de 50% dos juros de mora)
Economia

Representação Brasileira vota criação do Banco do Sul

Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela, além do Brasil, assinaram o Convênio Constitutivo do Banco do Sul em 26