Cidades

CRM-MT reprova modelo do ‘Médicos pelo Brasil’ em trâmite na Câmara

O CRM-MT (Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso) reprova o programa Médicos pelo Brasil no modelo aprovado pelo Congresso, no fim de setembro, via Medida Provisória (MP).  O conselho afirma que a proposta pode gerar “risco à saúde” dos brasileiros.

Em nota divulgada hoje (22), a entidade afirma que a MP 890/2019 conforme foi aprovada nas Comissões interferirá na prática da medicina e poderá deixar a população “à mercê de profissionais de formação duvidosa”.

“A MP, quando assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, em 1º de agosto, foi considerada um avanço pela Associação Médica Brasileira e suas federadas, e pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e Conselhos Regionais. Entretanto, recebeu emendas que desvirtuam a proposta original”, pontua.

O CRM-MT aos parlamentares de Mato Grosso no Congresso a revisão de itens da Medida Provisória considerados “inaceitáveis”.  Por exemplo, a flexibilização do Revalida, estendendo às universidades privadas a autorização para aplicação do teste. O conselho diz que a mudança “garante vantagens a quem não comprovou a devida capacitação” para exercício da profissão. Profissionais cubanos tiveram flexibilização específica neste ponto.

“Da forma como foram propostos, abrem indesejado e perigoso retorno ao modelo "Mais Médicos" com a atuação e interferência das prefeituras. As permissões sugeridas maculam a autonomia da agência reguladora do Médicos Pelo Brasil, constituindo-se uma afronta à legalidade e à transparência. Quando se barganha com a saúde, é fácil prever quem vai lucrar e quem vai ser penalizado”.

A comissão mista da Câmara Federal aprovou em 25 de setembro o relatório do senador Confúcio Moura (MDB-RO). Duas emendas que tinham sido rejeitadas pelo relator acabaram sendo aprovadas na forma de destaques na comissão. O texto do Projeto de Lei de Conversão segue para apreciação do Plenário da Câmara dos Deputados.

O governo federal lançou o programa em 1º de agosto em substituição ao Mais Médicos, dos governos do PT. A estratégia é em cerca de sete mil vagas a oferta de médicos em municípios onde há os maiores vazios assistenciais na comparação com o programa Mais Médicos, sendo que as regiões Norte e Nordeste juntas têm 55% do total dessas vagas. Ao todo, serão 18 mil vagas previstas, sendo cerca de 13 mil em municípios de difícil provimento.

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Cidades

Fifa confirma e Valcke não vem ao Brasil no dia 12

 Na visita, Valcke iria a três estádios da Copa: Arena Pernambuco, na segunda-feira, Estádio Nacional Mané Garrincha, na terça, e
Cidades

Brasileiros usam 15 bi de sacolas plásticas por ano

Dar uma destinação adequada a essas sacolas e incentivar o uso das chamadas ecobags tem sido prioridade em muitos países.