Cidades

Cientistas estudam caso de irmãos turcos que andam como quadrúpedes

 
O caso tornou-se conhecido com a exibição de um documentário da emissora britânica BBC, em 2006. A chamada síndrome de Uner Tan – caracterizada pela falta de equilíbrio e coordenação, habilidades cognitivas reduzidas e andar quadrúpede – a princípio foi vista como uma forma de "retrocesso evolutivo", um retorno à forma de andar dos primatas.
 
A nova pesquisa, porém, concluiu que a forma peculiar de locomoção dessas pessoas não é uma maneira de "evolução às avessas". Trata-se apenas de uma estratégia desenvolvida pelos pacientes para se adaptar à inabilidade de andar eretos. Eles sofrem de uma instabilidade no tronco, de causa ainda não esclarecida, que os impede de caminhar somente sobre as pernas. O estudo, liderado pela Universidade do Texas, nos Estados Unidos, foi publicado na quarta-feira (16) pela revista científica "PLoS ONE". Veja vídeo que mostra o andar de um dos pacientes.
 
A conclusão foi possível graças à análise de imagens da caminhada de pessoas com essa síndrome. Os pesquisadores avaliaram filmagens de 513 passadas quadrúpedes dos cinco irmãos da família turca retratados pelo documentário da BBC.
 
Diagonal x lateral
 
O que levava à hipótese de que o fenômeno de andar sobre os quatro membros seria uma forma de evolução reversa era a suposição de que a caminhada desses irmãos era semelhante à dos primatas não humanos. Esses animais andam com pisadas que seguem uma sequência diagonal: um membro anterior toca o chão seguido pelo membro posterior do lado oposto.
 
A observação cuidadosa das filmagens demonstrou que esses pacientes, diferentemente dos primatas não humanos, têm pisadas que seguem uma sequência lateral, ou seja, um membro anterior toca o chão, seguido pelo membro posterior do mesmo lado. O comportamento não poderia caracterizar, portanto, um retorno à forma de andar dos primatas, pois tratam-se de formas diferentes de caminhar.
 
Os pacientes com a síndrome de Uner Tan, na verdade, têm um caminhar quadrúpede semelhante ao observado em pessoas saudáveis quando orientadas a andar com apoio dos pés e das mãos. "Apesar de ser incomum o fato de humanos com a síndrome de Uner Tan andarem com os quatro membros, essa forma de quadrupedia parece aquela de adultos saudáveis, e não é de forma alguma inesperada", diz a pesquisadora Liza Shapiro. "Como demonstramos, a quadrupedia em adultos saudáveis ou naqueles com deficiência física pode ser explicada usando princípios biomecânicos, em vez de hipóteses evolutivas", completa.
 
O caso dos irmãos turcos foi o primeiro a ser descrito pela medicina. O registro foi feito pelo neurocientista Uner Tan, que deu o próprio nome à síndrome. Outros casos foram identificados depois. Apesar de os sintomas variarem de um paciente para outro – com ocorrência de problemas na fala e hipoplasia cerebelar (defeito congênito do sistema nervoso central) –, a caminhada sobre os quatro membros é comum a todos.
 
G1

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Cidades

Fifa confirma e Valcke não vem ao Brasil no dia 12

 Na visita, Valcke iria a três estádios da Copa: Arena Pernambuco, na segunda-feira, Estádio Nacional Mané Garrincha, na terça, e
Cidades

Brasileiros usam 15 bi de sacolas plásticas por ano

Dar uma destinação adequada a essas sacolas e incentivar o uso das chamadas ecobags tem sido prioridade em muitos países.