Economia

Após reunião com Guedes, Maia diz não haver ordem para o pós-Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que não existirá uma ordem de prioridade entre os projetos de reformas econômicas.

“Não tem ordem, todas são relevantes, tem uma engrenagem que uma encaixa na outra. Precisa de solução para tudo e esperamos que a Câmara e Senado em conjunto possam colaborar”, afirmou.

Maia participou da reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM- AP) para discutir a articulação política para votações das próximas propostas do governo, que devem incluir uma reforma administrativa, reforma tributária, mudanças no pacto federativo e privatizações.

De acordo com Guedes, deve ser o Congresso quem deve decidir a ordem das votações. O governo teria o papel de apresentar suas propostas e os parlamentares de definirem as prioridades.

O governo pretende apresentar na próxima quarta-feira, após a votação da reforma previdenciária no Senado, a agenda econômica para o “pós-Previdência”. Representantes do ministério da Economia devem ter novo encontro na próxima segunda-feira com os parlamentares.

Maia também disse que nos próximos dias será definido quais projetos serão tocados pela Câmara dos Deputados e quais pelo Senado.

“Vamos trabalhar pela comissão mista da reforma tributária e organizar a reforma administrativa e a PEC da Regra de Ouro, para que cada uma comece por uma casa”, afirmou.

Maia acrescentou que existe ainda uma lista com projetos de lei a serem enviados pelo governo, mas não citou os temas.

O presidente da Câmara afirmou ainda que poderá haver um novo texto da PEC da Regra de Ouro e que o governo ainda decidirá sobre a tramitação e os detalhes. “A PEC do deputado Pedro Paulo será usada de uma forma ou de outra”, completou.

De acordo com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), a expectativa é votar a Reforma da Previdência na Casa na próxima terça-feira. “Temos ambiente de amplo acordo no Senado, temos mantido conversas permanente com lideranças partidárias. As coisas estão bem calmas no Senado, até terça-feira votamos a reforma da Previdência”, afirmou.

Ele afirmou que, na próxima segunda-feira, o governo apresentará detalhes dos textos das próximas reformas e de projetos de lei da área econômica. “Quarta-feira, após a votação da reforma da Previdência, o governo vai apresentar a sua agenda, que passa pela Regra de Ouro, reforma administrativa, tributária e outras questões. Vamos decidir na segunda-feira o que ficará para o Senado, quando conhecermos no detalhe as propostas”, completou.

Redação

About Author

Reportagens realizada pelos colaboradores, em conjunto, ou com assessorias de imprensa.

Você também pode se interessar

Economia

Projeto estabelece teto para pagamento de dívida previdenciária

Em 2005, a Lei 11.196/05, que estabeleceu condições especiais (isenção de multas e redução de 50% dos juros de mora)
Economia

Representação Brasileira vota criação do Banco do Sul

Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela, além do Brasil, assinaram o Convênio Constitutivo do Banco do Sul em 26