PUBLICIDADE

Enfermagem do Pronto Socorro denuncia precariedade e convoca para greve

Baixos salários e precárias condições de trabalhos são pauta da Assembleia Geral que servidores do setor e Enfermagem do Pronto Socorro e Hospital Municipal de Cuiabá realizam na quinta-feira (3), às 14h00 no estacionamento do PSHM. Na ocasião vão decidir uma data para o início da greve da categoria.

02/07/2014 12h59 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

 
Convocação nesse sentido está sendo feita a todos os servidores do PSHM sob o apontamento para a paralisação. A categoria pede o fim das suspensões de salário em casos de apresentação de atestado médico, pagamento de 40% sobre o salário a título de insalubridade para os setores abertos e ainda melhores condições de trabalho. _ Estamos dormindo no chão, sem colchão – denunciou um enfermeiro.
 
A questão da insalubridade é um ponto preocupante para os enfermeiro que fazem atendimento na porta de entrada, já que se expõem a todo tipo de risco, com atendimento de doentes com sífilis, tuberculose e outras doenças. 
 
Conforme a Comissão foi feita uma tentativa de acordo na semana passada quando buscaram entendimento com a prefeitura. O secretário de Governo da prefeitura teria ironizado as reivindicações, contudo ofereceu 3% de reposição da inflação e aumento sobre a tabela de 2010 – que esteve congelada. 
 
Foto: PLantão News
 
Ao todo são 700 profissionais da saúde envolvendo enfermeiros e técnicos. O salário dos trabalhadores gira em torno de R$ 724 e outros R$ 600 de produtividade, o que eles chamam de imoral e irregular. _ Se houver a falta por doença ou mesmo para ir a um velório da família é descontado o dia” – disse uma enfermeira. O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem (Sinpen) aderiu às reivindicações da categoria.
 
Plantão News 
.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE