PUBLICIDADE

Saúde - Página 199

ONU e SESI MT iniciam projeto de prevenção do uso de álcool e drogas

A utilização abusiva de substâncias psicoativas, lícitas ou ilícitas, pode trazer grandes prejuízos a vida social e profissional. Distanciamento da família, doenças, alta possibilidade de ocasionar um acidente no trabalho e redução da produtividade são alguns dos problemas que podem surgir com usuários ocasionais de álcool ou entorpecentes. 

Ônibus do Hemocentro estará nesta quarta-feira no Pantanal Shopping

Ônibus do Hemocentro estará nesta quarta-feira no Pantanal Shopping

O Pantanal Shopping e o MT – Hemocentro dão continuidade à campanha mensal de sensibilização para a doação de sangue e realizam coleta nesta quarta-feira (27). Das 10h30 às 17h, o ônibus do Hemocentro estará no estacionamento da entrada principal do Pantanal Shopping realizando coleta de sangue total. O objetivo é promover a manutenção dos estoques de bolsa de sangue do Estado.

Curso vai ensinar as pessoas a lidar com as emoções

Curso vai ensinar as pessoas a lidar com as emoções

Na semana da Páscoa, Jesus é um símbolo de compaixão. Mesmo nos momentos derradeiros de traição e sofrimento manteve a tranquilidade e a empatia. Parece algo distante, mas aprender a desenvolver de forma saudável a afetividade, para construir relações saudáveis e profundas, seja no trabalho, seja na vida pessoal, é algo totalmente possível.

Hospital do Câncer realiza pesquisa para identificar casos suspeitos

Hospital do Câncer realiza pesquisa para identificar casos suspeitos

  Uma pesquisa desenvolvida desde o ano de 2011, pelo radiologista doutor Luis Marcelo Ventura, e pelo enfermeiro Júlio Cesar de Souza, coordenador de Pesquisa do Hospital do Câncer de Barretos, ajuda identificar os casos suspeitos de câncer de fígado. A pesquisa começou quando a Carreta Hospital do Câncer de Barretos passou em Alta Floresta, no ano de 2011, e algumas das pessoas que procurarão a Carreta para fazer exames de prevenção foram convidadas para participar da pesquisa desenvolvida.   De acordo com o enfermeiro Júlio Cesar de Souza, que faz parte da equipe de pesquisadores, o primeiro procedimento é realizar a coleta de sangue para detectar hepatite B e C. “O objetivo da pesquisa é tentar encontrar câncer de fígado em pessoas assintomáticas que não tenham nenhum tipo de hepatite B e C”, explicou.   Segundo ele, a escolha de Alta Floresta se deu por vários motivos como a dificuldade da distância e o custo muito elevado da viagem até a cidade de Barretos, no interior do estado de São Paulo. Com uma verba extra os pesquisadores retornaram a Alta Floresta, onde a segunda etapa da pesquisa é colocada em prática. “Nessa segunda etapa da pesquisa vamos fazer o ultrassom do fígado para identificar se existe algum nódulo nessas pessoas, são 28 participantes da região. Ao final dos exames como ultrassom e coleta de sangue, teremos todos os dados dos participantes”, disse.   Após essa fase de documentação os exames são encaminhados para a Secretária Municipal de Saúde, que analisa a necessidade do paciente realizar exames complementares em Barretos como ressonância e tomografia. Os resultados também são encaminhados para a residência dos pacientes, quando der negativo o exame de imagem e positivo para uma das hepatites será encaminhada uma carta para que a pessoa procure uma assistência médica no seu Estado.   A ideia da pesquisa não é tratar a hepatite e sim descobrir o câncer no início. “São pessoas que não tem câncer e vão até a carreta fazer um preventivo, de várias idades variando de 18 a 70 anos, do sexo masculino e feminino, tudo é feito gratuitamente, as consultas e os exames, com o objetivo de atender o maior número de pessoas” completou Júlio Cesar de Sousa.   O número de participantes da pesquisa é de 2 (duas) mil pessoas, até o momento são 1.900 (mil em novecentas). A expectativa é que até julho será possível fechar o número de participantes. A região escolhida para realizar a pesquisa foi pelos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia por ser uma população que apresenta maior número de casos de hepatite. Esses números são do Ministério da Saúde.   O estado de São Paulo tem 400 participantes, a ideia é ter um quantitativo no estado. “A região Centro-Oeste e Norte apresenta uma incidência grande de casos de hepatite devido à atividade garimpeira durante muitos anos. Já com relação aos 400 participantes de São Paulo, é mais para se ter uma ideia do quantitativo de casos. Esse é estudo piloto com o objetivo de identificar esses casos suspeitos de câncer de fígado”, conclui o enfermeiro Júlio Cesar de Souza.   Fonte: Nativa News

Reeducandos em MT passam por campanha contra tuberculose

Reeducandos em MT passam por campanha contra tuberculose

  Uma campanha de prevenção à tuberculose mobilizou o sistema penitenciário durante o mês de março em Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana da capital. A ação também será feita a partir desta segunda-feira (25) em penitenciárias, cadeias públicas e centros de detenção provisória do interior do estado.   O objetivo, conforme a assessoria da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh),  é de alertar os servidores, a população carcerária e familiares que comparecem às visitas no sistema penitenciário, sobre a prevenção, transmissão e tratamento da doença.   A campanha, realizada pela gerência de Saúde do Sistema Penitenciário, ocorre por ocasião do Dia Mundial do Combate à Tuberculose, no dia 24 de março. De acordo com o gerente de saúde Hozano Delgado, a mobilização também pretende identificar os novos casos e oferecer o devido encaminhamento.   Na mobilização são realizadas palestras, distribuição de material educativo, busca ativa para casos de tuberculose e baciloscopia.  A tuberculose é uma doença causada por uma bactéria que ataca principalmente os pulmões, mas pode também ocorrer em outras partes do corpo, como ossos, rins e meninges (as membranas que envolvem o cérebro).   Ela é transmitida de pessoa a pessoa ao espirrar, tossir ou falar, quando o doente com tuberculose expele as bactérias que podem ser aspiradas por outras pessoas.   Conforme a Sejudh, em 2012 foram registrados 189 casos de tuberculose no sistema penitenciário, todos devidamente encaminhados para tratamento. Desses dados, o índice de cura chega a 80% em um tratamento de até seis meses.   Fonte: G1