PUBLICIDADE
DICAS DE SAÚDE

Conheça os vários tipos de micose e como preveni-las

28/01/2019 07h54 | Atualizada em 28/01/2019 09h00

Conheça os vários tipos de micose e como preveni-las

Divulgação

Você já teve micose nas unhas, nos pés, na virilha? E frieira? É sobre isso que iremos tratar aqui.



O que é micose?

Micose é um termo genérico para infecções causadas por fungos. Elas são mais comuns em países tropicais como o Brasil, principalmente no verão, já que calor, suor e umidade favorecem a proliferação fúngica.

Tipos de micose



Micoses superficiais

As superficiais podem afetar pele, unhas e pelos. Os fungos que as causam se alimentam de queratina e da camada de gordura da superfície corporal.

Micose do cabelo

Ela é chamada de tinea capitis, e ocorre quase que exclusivamente em crianças. Deve-se desconfiar dela quando houver coceira, descamação e queda de dos fios no couro cabeludo.

Raramente o quadro é mais intenso e inflamatório, com formação de feridas, crostas e até pus.

Micose do corpo

Ela é chamada de tinea corporis. Deve-se desconfiar que a tem se surgirem em qualquer parte da pele placas avermelhadas, arredondadas, descamativas, e que podem ou não coçar.

Pitiríase versicolor

Outro tipo de micose muito comum tem características diferentes dos mencionados anteriormente. É a pitiríase versicolor, popularmente chamada de pano branco ou micose da praia. Ela é causada por outro tipo de fungo, que existe normalmente na pele dos indivíduos, no entanto, alguns apresentam maior sensibilidade à esse micro-organismo e por isso desenvolvem a doença mais facilmente.

Ela se manifesta como manchas esbranquiçadas, rosadas, avermelhadas ou acastanhadas, e por isso o nome versicolor, ou seja, mais de uma cor.

Outra característica é o caráter recorrente dessa micose, ou seja, ela costuma reaparecer de tempos em tempos em quem tem predisposição a tê-la.

Micose de unha (onicomicose)

Ela acomete de 10 a 20% da população adulta. É a doença de unha mais comum, mais frequente na unha dos pés do que na das mãos, isso porque o uso de sapatos fechados e meias tornam o pé um ambiente mais propício para o desenvolvimento fúngico.

As características mais importantes que devem ser notadas são:

  • A unha com micose fica amarelada ou esbranquiçada, mais grossa e pode descolar da pele.
  • No espaço entre a unha e a pele pode acumular um material que parece areia fina.

Apesar da onicomicose ser muito frequente, nem toda enfermidade da unha é causada por fungos. Traumas e várias outras doenças (dermatológicas ou não) podem afetar o aspecto e o crescimento das unhas.

Incidência dos diferentes tipos de micoses

Em adultos obesos é comum surgir micose na virilha e em outras áreas de dobras.

Em jovens e atletas a micose é mais frequente nos pés, o que é chamado de frieira ou pé de atleta.

Já quem faz muitas atividades domésticas e lida muito com água pode desenvolver micose nas mãos.

Todas as micoses são mais frequentes em imunodeprimidos, ou seja, quem tem a imunidade comprometida, como por AIDS, câncer, diabetes, ou quem faz tratamento quimioterápico ou algum outro com imunossupressor. Por isso, nesses grupos a atenção deve ser redobrada.

Apesar das micoses serem comuns, nem toda mancha na pele, queda de cabelo e descolamento de unha é culpa dos fungos. Por esse motivo não é recomendado seguir receitas caseiras, dicas da internet ou qualquer tratamento antes de passar por um médico especialista, nesse caso um dermatologista.

Prevenção das micoses

Algumas medidas simples diminuem o risco de micose. Os fungos têm predileção por ambientes fechados, quentes e úmidos. Além disso, é importante se secar bem depois do banho, principalmente nas áreas de dobras, como virilha, axilas e entre os dedos dos pés.

Quem sofre com assaduras ou frieiras pode usar o secador de cabelo para tirar a umidade dessas áreas lesadas, evitando assim a proliferação de fungos e o surgimento de micose.

Fonte: https://www.leetdoc.com/br/

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE