PUBLICIDADE
SINFRA

Pontes e estradas de Mato Grosso serão mapeadas

Após ser renomeada, pasta terá quatro secretarias-adjuntas, responsáveis pela revitalização e construção de estradas

07/01/2015 10h09 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

O vice-governador Carlos Fávaro, junto com o secretário da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Marcelo Duarte, apresentou o plano diretor de logística de Mato Grosso, em que será feito o mapeamento de todas as pontes e estradas que existem no Estado. A meta foi apresentada na manhã desta terça-feira (06) e faz parte da proposta de mudança dos 100 primeiros dias de governo de Pedro Taques (PDT).

A estrutura da Sinfra, que na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) era chamada de Secretaria de Transporte e Pavimentação Urbana (SETPU), também mudou com a chegada do governador Pedro Taques (PDT). Foram criadas quatro secretarias: Operação e Manutenção; Projetos Estratégicos; Gestão Sistêmica; e Obras Rodoviárias. Os secretários adjuntos devem ser nomeados na próxima semana, em uma reunião que contará com a participação do governador.

“Nós vamos pagar no prazo certo, mas também vamos exigir que as obras sejam entregues no prazo combinado, vamos cobrar”, destaca Marcelo Duarte.

Segundo Marcelo, era um desejo que o órgão voltasse a se chamar Sinfra, pela referência e importância que a Secretaria já teve. “Meu maior objetivo aqui é fazer com que esse órgão funcione, uma vez que já foi forte, grande e respeitado em todo estado”.

Fávaro e Taques se dizem otimistas com a nova Sinfra ao projetar que a secretaria, em pouco tempo, será um exemplo para o Brasil.

Retrospectiva

Antes de se transformar em SETPU a Sinfra foi alvo do escândalo do superfaturamento dos maquinários do programa MT 100% Equipado, na gestão do ex-secretário Vilceu Marchetti.

Na gestão do ex-governador Blairo Maggi (PR), a pasta foi responsável pela aquisição dos equipamentos que gerou um superfaturamento de R$ 44 milhões.

Em 2010 a Sinfra, passando a ser SETPU, perdia algumas atribuições para a secretaria das Cidades (também criada no governo de reeleição de Silval), tal como a responsabilidade da área da Habitação.

Permaneceu então com as finalidades de planejar, controlar, executar, fiscalizar e orientar as atividades governamentais nas áreas de transportes, obras públicas e vias urbanas.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE