PUBLICIDADE

PT Nacional processa Adriana Vandoni; blogueira classifica ação como ‘intimidação’

      Airton Marques – Da Redação     A blogueira e candidata a deputada estadual, Adriana Vandoni (PDT), recebeu na tarde de terça-feira (05), uma representação judicial por declarações feitas no programa televisivo “Preto no Branco” (Tv Pantanal – 22), onde participava diariamente com o quadro “Prosa e Política” - uma extensão do seu blog, onde externava denúncias e análises políticas. A candidata foi processada pelo diretório nacional do PT.

06/08/2014 21h32 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

 
O processo, que no momento, esta sob a responsabilidade do juiz Yale Sabo Mendes, da 7ª Vara Cívil de Cuiabá, foi ingressada no Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJ-MT).
 
No programa do dia 20 de março deste ano, a blogueira teceu comentários sobre o escândalo internacional referente à compra pela Petrobrás da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. O negócio, considerado mal sucedido, gerou prejuízo de US$ 1,18 bilhão de dólares aos cofres públicos. Atualmente, o escândalo é alvo de uma CPI no Congresso Nacional.
 
Em seu quadro, Vandoni compara o fato com a história de dois vizinhos e a compra de um carro. Em determinado momento ela condena o atual governo petista e dispara: “Então, temos que dar um conselho pros ladrões de galinha: para com esse negócio de roubar shampoo, de roubar pinga. Forma uma quadrilha, junta seus amigos, filiem-se ao PT e roubem, mas roubem muito. Porque não é shampoozinho que vai te fazer ficar cada vez mais alto num cargo público. Roube bilhões e bilhões de dólares e depois na hora que te pegarem fale que você não sabia”.
 
Por meio de sua assessoria de imprensa, a candidata declarou que o processo movido pelo PT e que ainda pede uma indenização de R$ 50 mil por danos morais esta é “uma das formas mais cruéis e covardes de intimidação contra a humanidade é barrar o livre direito de expressão”.
 
Vandoni entende a situação como mais uma forma de censura. “Estão tentando me calar, pois sabem que irei incomodar os que querem usar os cargos públicos em benefício próprio. Sabem que se eleita, vou fiscalizar os esquemas dentro da Assembleia e também no governo. Não interessa à banda da corrupção uma pessoa que é contra o desfalque do erário”, afirmou a pedetista.
 
 
 
Enxurrada de processos
 
Vandoni também responde a outras 6 representações impetradas no âmbito da Justiça Eleitoral pela coligação “Viva Mato Grosso”, liderada pelo candidato ao governo José Riva (PSD). Nestes casos, ela é processada por declarações feitas durante entrevistas em veículos de comunicação.   
 
A candidata afirma que tais ações são medidas contra a sua postura e crescimento na campanha. Vandoni se afirma critica ferrenha da corrupção.
 
“Estou me defendendo da forma legal. Mas, a minha maior defesa é o apoio das pessoas, que estão cansadas de serem lesadas. Ninguém quer ser processado, mas se é o ônus para mudar essa bandalheira que tomou conta das pessoas que tem o dever de nos representar, eu aceito esse fardo, que eu carrego com muito orgulho. Melhor ser processada por denunciar a corrupção, do que fazer parte dela”, afirmou a blogueira, por meio de sua assessoria.
 
 
 
Veja a integra da nota
 
“Por meio de assessoria de imprensa a candidata a deputada estadual Adriana Vandoni (PDT) vem a público esclarecer que uma das formas mais cruéis e covardes de intimidação contra a humanidade é barrar o livre direito de expressão. Essa tortura, disfarçada em ações judiciais, é uma arma antiga e que tem sido usada de forma incisiva contra a economista e blogueira.
 
Somente na última semana, desde que começou a ganhar destaque na imprensa, após lançar sua campanha para deputada estadual, Adriana Vandoni foi alvo de seis representações por declarações feitas durante entrevistas em veículos de comunicação. Essas representações foram impetradas no âmbito da Justiça Eleitoral, pela coligação encabeçada pelo deputado José Riva.
 
Adriana Vandoni entende que essa é única alternativa que os cupins da política têm para impedir o seu acesso a Assembleia Legislativa de Mato Grosso, já que o apoio popular é cada vez maior. “Estou me defendendo da forma legal. Mas, a minha maior defesa é o apoio das pessoas, que estão cansadas de serem lesadas. Ninguém quer ser processado, mas se é o ônus para mudar essa bandalheira que tomou conta das pessoas que tem o dever de nos representar, eu aceito esse fardo, que eu carrego com muito orgulho. Melhor ser processada por denunciar a corrupção, do que fazer parte dela”, declarou.
 
No entanto, para surpresa da coordenação de campanha, na tarde desta terça-feira (5), a candidata foi noticiada por meio de um veículo de imprensa que é alvo de mais uma ação judicial. Dessa vez, a ação partiu do Diretório Nacional do PT. O motivo, segundo a reportagem, seria um vídeo que foi transmitido pela TV Pantanal no dia 20 de março deste ano.
 
No vídeo em questão, a candidata faz um comentário sobre o escândalo internacional referente a compra pela Petrobrás da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. O negócio, mal sucedido, gerou prejuízo de US$ 1,18 bilhão de dólares aos cofres públicos, interferindo diretamente na vida de todos os brasileiros. 
 
Ainda sem tomar ciência formalmente sobre o processo, Vandoni adianta que entende a situação como mais uma forma de censura. “Estão tentando me calar, pois sabem que irei incomodar os que querem usar os cargos públicos em benefício próprio. Sabem que se eleita, vou fiscalizar os esquemas dentro da Assembleia e também no governo. Não interessa à banda da corrupção uma pessoa que é contra o desfalque do erário. Recebi com satisfação esse processo, vejo que não sou uma voz solitária e que as minhas críticas incomodam no âmbito estadual e também nacional”.
 



.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE