PUBLICIDADE
TABULEIRO POLÍTICO

Bolsonaro confirma apoio a Mauro Mendes e Wellington Fagundes em Mato Grosso

Segundo o presidente, o atrito com o governador ocorrido no primeiro ano da pandemia foi resolvido e ambos deverão caminhar juntos nas eleições deste ano com Wellington Fagundes na chapa para o Senado

Da Redação

Equipe

29/04/2022 11h05 | Atualizada em 29/04/2022 14h08

O presidente da República Jair Bolsonaro (PL) confirmou que vai apoiar o senador Wellington Fagundes (PL) e o governador Mauro Mendes (União) em Cuiabá nas Eleições 2022. A declaração põe fim a especulação de uma suposta neutralidade do chefe do executivo federal no estado.



A declaração foi dada durante entrevista à Rádio Metrópoles FM Cuiabá nesta sexta-feira (29). Segundo Bolsonaro, o seu atrito com Mauro Mendes que ocorreu durante o primeiro ano da pandemia, foi resolvido e que ambos deverão caminhar juntos nas eleições deste ano com Wellington Fagundes na chapa para o Senado.

"Não tem atrito entre nós, estamos em paz. Mato Grosso é um estado importantíssimo para o Brasil, e a harmonia entre eu e Mauro Mendes não interessa apenas ao Estado, mas para todo mundo. Então estamos fechados e vamos tocar o barco aí", disse Bolsonaro durante a entrevista.

Segundo o presidente, tudo estaria bem encaminhado e que solicitou a outros bolsonaristas 'baixarem a temperatura', citando o deputado federal José Medeiros (PL), o ex-deputado Victório Galli (PTB) e a coronel Fernanda (PL). "Estamos acertando com muita gente, está indo tudo muito bem. Que vença o melhor em Mato Grosso, e comigo e Mauro Mendes está tudo 100%", completou.



Bolsonaro também citou apoio à reeleição de Fagundes, afirmando que o partido (PL) está fechado nesta questão. "Temos dois estados – Mato Grosso e Rio de Janeiro – em que os nossos senadores são do PL. Obviamente é Wellington Fagundes aí [Mato Grosso] e Romário no Rio de Janeiro. Eles têm a prioridade e o direito de concorrer à reeleição", afirmou.

Bolsonaro também amenizou as críticas de alguns apoiadores por conta do seu apoio nos estados, afirmou que seu eleitores às vezes ficam chateados com as escolhas dos candidatos. Segundo o presidente, o seu objetivo é eleger maior bancada federal e Senado.

"Para governador, a gente compõe. Como fizemos essa composição com o Mauro Mendes. E é dessa forma. Nem tudo é da forma como a gente quer, como a gente gosta. Algumas coisas acontecem, assim como na nossa vida particular. Não dá para a gente fazer e acontecer tudo que a gente quer", finalizou.

A chancela do apoio do presidente a Mauro Mendes e Fagundes deve repercutir nas candidaturas ao Senado do deputado Neri Geller (PP) e de Antônio Galvan. O primeiro buscava a vaga na chapa de Mauro Mendes, o que deve não acontecer. Já Galvan deverá recuar, já que o PTB compõe a base de apoio do presidente.

A confirmação da aliança também deverá atingir o PSB do deputado Max Russi (PSB), já que o partido estará no palanque do ex-presidente Lula (PT).

FONTE: Gazeta Digital



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE