PUBLICIDADE
DECRETO DE ISOLAMENTO

Pinheiro diz que manterá medidas restritivas. 'O momento é grave'

Prefeito de Cuiabá diz que segue orientação do Ministério da Saúde e da OMS sobre como proceder para conter novo vírus

Reinaldo Fernandes

Repórter

25/03/2020 13h58 | Atualizada em 25/03/2020 15h31

Pinheiro diz que manterá medidas restritivas. 'O momento é grave'

Reprodução/Internet

O prefeito Emanuel Pinheiro disse nesta quarta-feira (25) que ficam mantidas as medidas decretadas para contenção do novo coronavírus em Cuiabá. Ele disse que o quadro da contaminação do vírus no momento é grave e não gera perspectiva para a revisão das restrições. 



“Momentaneamente a situação é muito grave. Eu não gostaria de fazer restrição nenhuma, não proibir comércio, não vetar o transporte público, mas agora o que está em risco e à saúde da população, principalmente, dos grupos de riscos (idosos)”. 

A posição do prefeito teve tom mais incisivo em relação à resposta do governador Mauro Mendes ao pronunciamento oficial do presidente da República, Jair Bolsonaro, na noite dessa terça-feira (24). 

Mais cedo, Mendes disse que também manterá as medidas de isolamento social, mas não impedirá as atividades econômicas, desde que estejam enquadradas nas regras sanitárias. 



Pinheiro diz que “o mundo caminha seguindo essas orientações, a que garantem o isolamento social, como é preconizado pelo Ministério da Saúde e pela OMS (Organização Mundial de Saúde)”. 

 “Trabalhamos seguindo essas orientações, inclusive de técnicos que integram a força-tarefa instituída pelo Ministro da Saúde. Tudo é temporário, mas para cuidar dos mais carentes e proteger a vida da população”. 

A fala do presidente Jair Bolsonaro tem gerado choque na relação com Estados e municípios sobre como proceder na prevenção ao coronavírus. No seu pronunciamento, ele disse que contaminação pelos vírus é uma “gripezinha” e disse o Brasil está entrando em “histeria”. 

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE