PUBLICIDADE
AMBIENTE

Mato Grosso lança ferramenta para monitorar desmate ilegal 'em tempo real'

Secretaria do Meio Ambiente afirma que novo modelo de monitoramento via satélite poderá identificar "qualquer tipo de exploração" no Estado

Reinaldo Fernandes

Repórter

14/08/2019 12h46 | Atualizada em 14/08/2019 14h18

Mato Grosso lança ferramenta para monitorar desmate ilegal 'em tempo real'

Reprodução/Internet

Mato Grosso deverá ser capaz de identificar desmatamento ilegal num prazo de até 24 horas, com o sistema de monitoramento lançado nesta quarta-feira (14) pela Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente). A fiscalização contará com novo modelo de imagens via satélite que irá emitir alerta de incêndio em áreas de preservação ambiental, o que, em tese, contribui para a agilidade em terra de equipes de combate.



“Em Mato Grosso, nós temos grandes ativos ambientais e vamos trabalhar para preservar, dentro dos limites legais, todos esses ativos, mas também temos o direito de construir o nosso desenvolvimento econômico. As ferramentas que hoje apresentamos vão ao encontro dessa filosofia de promover controle ambiental adequado, em tempo real. Em 24 horas, teremos a condição de observar qualquer desmatamento ilegal e proibir que isso continue trazendo prejuízo”, disse o governador Mauro Mendes.

A nova ferramenta é lançada num momento de polêmica entre o Brasil e Países europeus por causa de mudanças feitas pelo presidente Jair Bolsonaro nas políticas de preservação da floresta amazônica, área da qual Mato Grosso faz parte. O governador tocou no assunto e voltou a dizer que Estados estrangeiros e instituições verdes não terão autoridade para orientar as regras ambientais do Brasil.

“Essa questão ambiental tem profunda relação com Mato Grosso, porque é o Estado que mais produz alimento, estamos no olho do furação dos interesses ligados ao mercado das commodities agrícolas e nós iremos tomar as medidas para que estejamos aliados com os nossos mercados, nosso clientes, mas acima de tudo alinhado com o pensamento que nós, brasileiros, temos. Nós queremos preservar”.



Ele ainda cobrou o cumprimento de acordo de liberação de recursos para Países com reservas ambientais – uma alternativa para recuo da exploração ambiental -, caso do Fundo da Amazônia, que tem financiamento da Alemanha, uma opositora às mudanças das regras ambientais.

Monitoramento

Conforme o governador, o sistema poderá identificar a ocorrência de destamento acima de meio hectare. Serão analisadas imagens registradas de um diante da ocorrência e de um dia depois, que servirão para fazer análise ambiental. A consideração sobre ilegalidade ou não das ocorrências será feita com base na legislação ambiental, mas não foi explicado se o registro de exploração prevista na lei, mas sem autorização entrará no campo da ilegalidade. "Toda e qualquer ação prevista na legislação ambiental será autorizada pelo órgão ambiental. Iremos combater duramente todo desmatamento ilegal", disse Mendes.

A secretária Mauren Lazzaretti disse que a equipe de combate da Sema terá auxílio de agentes do Ibama e do Batalhão Ambiental na execucação das ações demandadas pelo novo sistema. "Nós temos a possibilidade de fazer cooperações e estabelecer um mecanismo inteligente de estarmos nos diversos lugares. Efetivamente, vamos nos preocupar com aqueles arcos de desmatamento mais significativos, sem deixar de acionar, inclusive, a polícia para fazer a primeira intervenção".

Os dados coletados pelo sistema de monitoramento deverão ser divulgados em relatórios mensais da Sema.

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE