PUBLICIDADE
PRESIDENTE INTERINA

Janaína Riva diz que seu foco será na resolução da crise da Santa Casa de Cuiabá

Deputada diz que a Assembleia Legislativa não conseguiu liberar auxílio de R$ 3,5 milhões a hospital e citou a direção como principal ponto de conflito

Reinaldo Fernandes

Repórter

18/04/2019 14h29 | Atualizada em 18/04/2019 17h43

Janaína Riva diz que seu foco será na resolução da crise da Santa Casa de Cuiabá

Alair Ribeiro/MídiaNews

A presidente interina da Assembleia Legislativa, Janaína Riva (MDB), diz que irá focar na resolução da crise da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá nos primeiros dias no comando do Legislativo.  A discussão sobre o hospital seria um assunto acordado com o titular do cargo, Eduardo Botelho (DEM), que se afastou do posto por quatro meses – a saída foi anunciada ontem (17).

“Uma das primeiras medidas é retomar a discussão da crise da Santa Casa que é um desejo que Botelho me deixou. Não conseguimos efetuar o repasse de auxílio de R$ 3,5 milhões que a Assembleia liberou”.

A crise financeira do hospital que já está há um mês com as portas fechadas ganhou nova repercussão nesta semana com a confusão entre o presidente da comissão administrativa, médico Luís Saboia, e funcionários. Durante visita de vereadores que compõem a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga o filantrópico, o médico tomou o celular de uma mulher que gravava a visita.

Na Assembleia, a discussão pode ganhar mais força com ida do vereador Toninho de Souza (PSD). Ele ocupará a vaga de Botelho como suplente. Na Câmara de Cuiabá, ele é membro da comissão parlamentar.

Ele integrava o grupo de vereadores visitantes à Santa Casa nesta semana que protocolou 12 requerimentos de informação sobre as atividades do hospital, desde pagamento de folha de salários, contratos e recolhimento do INSS, passando por recebimento de emendas parlamentares.

A quantia de R$ 3,5 milhões mencionados pela deputada Janaína Riva foi anunciada há quase três semanas. O dinheiro, no entanto, somente pode ser liberado para o hospital por meio de acionamento do Ministério Público do Estado (MPF) pela a direção da Santa Casa. Ontem, ela disse que o principal conflito na resolução do problema continua sendo a direção administrativa.

“É o principal ponto de dificuldade na resolução problema, estamos tentando negociar, mas está difícil”.

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE