PUBLICIDADE
VAGA

Audicom indica ex-presidente Hebertt Villarruel para conselheiro do Tribunal de Contas do MT

Entidade afirma que indicação é feita para manter o critério de perfil técnico para ocupação de cargo a ser indicado pela AL.

Da Redação

Equipe

15/02/2019 17h46 | Atualizada em 15/02/2019 18h18

Audicom indica ex-presidente Hebertt Villarruel para conselheiro do Tribunal de Contas do MT

Reprodução/Internet

A Audicom (Associação dos Auditores e Controladores Internos dos Municípios de Mato Grosso) indicou, nesta sexta-feira (15), para a ocupação da vaga de conselheiro da Corte de Contas, seu presidente de honra e fundador, Dr. Hebertt Villarruel.

Ele foi presidente por três mandatos (2014/2015, 2016/2017 e 2017/2018) e tem na carreira o histórico controlador interno do de Porto Esperidião, entre 2008 e 2010, controlador interno de Alta Floresta, entre 2012 e 2016, e auditor público interno do também de Alta Floresta, entre 2012 e 2018. 

“Com notória capacidade técnica para o exercício do cargo de conselheiro, Hebertt atuou como professor substituto de direito constitucional em faculdade no campus da Unemat Alta Floresta. E professor de direito administrativo no curso de direito e de auditoria e perícia no curso de Ciências Contábeis da Faculdade de Direito de Alta Floresta (FADAF)”.

Hoje mais cedo, a Audicom se manifestou favor da adoção de regras constitucionais para a escolha de novo membro do pleno do TCE (Tribunal de Contas do Estado). Em nota divulgada nesta sexta-feira (15), a associação afirma serem “positivas” as medidas sugeridas pelo corregedor-geral de Contas, Isaias Lopes da Cunha, para o estabelecimento do rito de ponderação.

A associação se posiciona a favor da Corregedoria de Contas após a polêmica sobre a publicação do texto em que o corregedor-geral estabelece um rito no qual se observa as determinações constitucionais de que o candidato tenha “conhecimento jurídico notório e conduta ilibada”. Os critérios não inclusos em rito divulgado pela Assembleia Legislativa tinha a potência de travar a indicação do deputado Guilherme Maluf (PSDB), investigado na Operação Rêmora por suposta participação em esquema de fraudes na Seduc (Secretaria Estadual de Educação).

Leia mais

 

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE