PUBLICIDADE
ELEIÇÕES 2018

MDB decide pelo apoio à candidatura de Mauro Mendes ao governo e PR fica no vácuo

Decisão foi tomada em reunião entre Mauro Mendes, Otaviano Pivetta e a direção do MDB neste fim de semana

Reinaldo Fernandes

Repórter

17/07/2018 08h51 | Atualizada em 17/07/2018 09h02

MDB decide pelo apoio à candidatura de Mauro Mendes ao governo e PR fica no vácuo

Reprodução/Internet

O MDB decidiu pelo apoio à pré-candidatura de Mauro Mendes (DEM), abandonando a negociação que vinha sendo feita com o senador Wellington Fagundes (PR-MT). Conforme fonte consultada pelo Circuito Mato Grosso, a decisão foi tomada em reunião realizada no fim de semana entre Mauro Mendes e Otaviano Pivetta (PDT), que encabeçam a chapa articulada pelos democratas. Pivetta é pré-candidato a vice-governador.



No domingo (15), o Circuito Mato Grosso publicou a informação de que a demora do Partido Republicano em articular chapa para as eleições deste ano ameaçava o apoio do MDB. Com a saída do partido, Fagundes pode ter dificuldade para viabilizar sua candidatura ao Palácio Paiaguás. O senador diz que seis siglas tinham, até o fim de semana, negociação mais próxima do PR. Mas, publicamente, o apoio foi declarado pelo PP e PCdoB.

O PSD, que tinha se aproximado dos republicanos, passou para o grupo do DEM e o PDT seguiu com a articulação da candidatura ao Senado para o ex-vice-governador Carlos Fávaro.

A deputada estadual Janaína Riva e o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, eram os principais articuladores no MDB pela coligação com republicanos. Os dois partidos se aproximaram nas eleições de 2016, quando estiveram juntos na campanha de Pinheiro à prefeitura. Já à época se especulava nova parceria para defender um escolhido para concorrer ao Palácio Paiaguás nas eleições deste ano. 



Antes da declaração, na semana passada, de Carlos Bezerra de preferência pela candidatura de Mauro Mendes, outros políticos ligados ao DEM e ao MDB já haviam dito que o projeto com Fagundes poderia ser preterido. Mas a assessoria do republicano disse que as falas procuravam desestabilizar a negociação. 

Ao Circuito Mato Grosso,entretanto, Wellington Fagundes afirmou que o partido está analisando os nomes para pré-candidatura a vice-governador, ao seu lado, e a senador, cargos que devem ser negociados com siglas de coligação. Ele disse ainda o PR segue aberto a negociações, com maior aproximação de seis partidos, cujos nomes não foram citados. 

O período para convenções partidárias, evento que define as chapas, começa na próxima sexta-feira (20) e termina em 5 de agosto.  

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE