PUBLICIDADE
INDENIZATÓRIA

Áudio ligado a Jajah Neves cita cobrança de verba por Wilson Santos

Gravação supostamente do suplemente de deputado estadual foi vazado em redes sociais nesta quinta-feira (11). Valor de R$ 65 mil por mês

Da Redação

Equipe

12/01/2018 08h48 | Atualizada em 12/01/2018 08h47

Áudio ligado a Jajah Neves cita cobrança de verba por Wilson Santos

Reprodução/Internet

O deputado estadual licenciado Wilson Santos (PSDB) cobraria a devolução de verba indenizatória paga ao seu suplente Jajah Neves (PSDB). A cobrança foi declarada por Jajah Neves em depoimento gravado e vazado nas redes sociais.

“Cai minha VI (verba indenizatória), tenho que devolver pro Wilson Santos. [Wilson Santos] Começa a me ligar três dias antes [da data de transferência do dinheiro] cobrando a devolução”, informa gravação supostamente do suplente.

O áudio foi publicado nesta quinta-feira (11) pelo site RD News. Wilson Santos se licenciou do mandato de deputado federal no final de 2016 para assumir a Secretaria das Cidades (Secid) a convite do governador Pedro Taques. Desde então, Jajah Neves cobre o cargo com voltas intermitentes de Santos ao Legislativo para apoio a ações do governo.

A verba indenizatória paga aos deputados, hoje no valor de R$ 65 mil por mês, é ressarcimento de despesas relacionadas ao exercício de um mandato. O dinheiro deveria ser liberado mediante requerimento e comprovação de gastos, como passagens, alimentação, hospedagem, telefonia, combustíveis.

Mas, a exigência de comprovantes para pagamento da verba em Mato Grosso foi anulada por meio de lei estadual de 2014.

Reportagem publicada pelo Circuito Mato Grosso em 2017 mostra que os deputados estaduais custaram mais de R$ 34 milhões por mês ao Estado com despesas de salários, verba indenizatória, salários de funcionários de gabinetes, verba extra para gabinete e combustível em 2017. 

A quantia disponível para cada deputado está distribuída em verba indenizatória (VI) de R$ 65 mil, R$ 6 mil extras para despesas de escritório pra cada chefe de gabinete e mais mil litros de gasolina liberados mensalmente para viagens para o interior de Mato Grosso e circulação dentro de Cuiabá. 

O secretário Wilson Santos negou que cobre o repasse de verba indenizatória de seu suplente. Jajah Neves disse que fará coletiva de imprensa na próxima terça-feira (16) para se esclarecer o assunto.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE