PUBLICIDADE

Política - Página 1179

TRE fecha cerco contra doações para campanhas eleitorais

TRE fecha cerco contra doações para campanhas eleitorais

  Em mais uma decisão que visa fechar o cerco contra as doações a campanhas eleitorais acima do limite legal, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT)  negou recurso à empresa Encomind Engenharia Comércio e Indústria Ltda  e manteve decisão do juízo da 1ª zona eleitoral que aplicou multa de R$ 2,269 milhões.   A empresa doou R$ 870 mil a seis candidatos de diferentes partidos e um comitê de campanha. Após levantamento realizado junto à Receita Federal ficou constatado que a Encomind poderia ter doado, no máximo, a quantia de R$ 416 mil. A legislação eleitoral limita as doações de campanha por empresas em 2% do rendimento bruto aferido no ano anterior às eleições.   No recurso protocolado no TRE a empresa pediu, além da redução do valor da multa, o cancelamento da decisão de primeira instância que proibiu a contratação com o poder público por um período de cinco anos. Este pedido foi atendido pelo pleno do Tribunal, por quatro votos a três.   Para atender parcialmente o pedido da empresa - apenas para afastar a sanção de proibição de contratar com o poder público por cinco anos-, a Corte Eleitoral de Mato Grosso se baseou na jurisprudência de tribunais  que julgaram ações semelhantes.   O TRE de Sergipe decidiu que a penalidade consistente na proibição de participar de licitações públicas e de celebrar contratos com o Poder Público pelo período de cinco anos, descrita no §3º do artigo 81 da Lei 9.504/97, somente deve ser aplicada se, ao se aplicar a proporcionalidade em relação ao excesso na doação frente ao limite de doação e ao faturamento bruto da pessoa jurídica, constatar-se ser o excesso relevante, o que não se demonstrou nos autos (TRE-SE, Representação nº 882, Aracaju/SE, Acórdão nº 423/2009).   O Tribunal do Rio de Janeiro, ao julgar Representação Eleitoral por doação acima do limite legal, também aplicou o princípio da proporcionalidade mantendo a multa e afastando a proibição de contratar com o poder público (TRE-RJ, Representação nº 985 - Rio de janeiro/RJ, Acórdão nº 38.696, Relator Des. Leonardo Pietro Antonelli, J. 15/04/2010).     Assessoria TRE- MT

Que interesses estariam por trás da PEC 37?
MORDAÇA

Que interesses estariam por trás da PEC 37?

  O ‘comendador‘ João Arcanjo Ribeiro, que há 10 anos está preso, poderia ter um destino diferente se não fosse deflagrada a operação Arca de Noé, em dezembro de 2002, afrontando um dos principais mentores e mandantes do crime organizado no Estado.

A saga de Nadaf em defesa dos incentivo
CAIXA PRETA

A saga de Nadaf em defesa dos incentivo

  O relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) atestando que os incentivos fiscais concedidos em Mato Grosso geram mais prejuízos aos cofres públicos do que retorno em geração de emprego e renda, divulgado com exclusividade pelo Circuito Mato Grosso, abriu uma ferida na política tributária do Governo Silval Barbosa e causou rebuliço nos bastidores políticos.

TCE mantém 14 licitações suspensas
SEPTU

TCE mantém 14 licitações suspensas

  O Pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) homologou no dia 2 de abril a medida cautelar que suspendeu as licitações desde o dia 20 de março, por decisão do conselheiro relator Sérgio Ricardo.

Propaganda enganosa e carreira sucateada
SERVIDORES

Propaganda enganosa e carreira sucateada

  Pressionado pelo Fórum Sindical, o atual secretário de Administração do Estado, Francisco Faiad, continua se esquivando das principais reivindicações dos servidores, para quem o governo vem realizando um sucateamento planejado da carreira, beneficiando os empresários com grandes incentivos fiscais e retendo as verbas obrigatórias das organizações sindicais.