PUBLICIDADE
EMENDA DE R$ 82 MILHÕES

Bancada: Governo deve garantir que irá arcar com equipamentos do P.S.

De acordo com Victório Galli, parlamentares irão avaliar remanejamento de emenda para o custeio da saúde em MT

Airton Marques

Acesse o Blog

19/06/2017 09h59 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Foto: Ahmad Jarrah/Arquivo CMT

O líder da bancada mato-grossense em Brasília (DF), deputado federal Victório Galli (PSC), afirmou que alguns parlamentares defendem que o Governo do Estado apresente garantias de que irá conseguir arcar com a compra de equipamentos do novo Hospital Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá, antes da conclusão da obra, esperada para abril de 2018.

Isso porque, o governador Pedro Taques (PSDB) articula o remanejamento da emenda parlamentar da bancada de quase R$ 82 milhões que, inicialmente, estava programada para a aquisição de tais equipamentos.

A intensão é que o montante ajude o Estado a quitar dívida com os sete hospitais regionais. Até o último mês, o Executivo acumulou um passivo de R$ 162 milhões com as unidades de saúde, sendo que já foram pagos R$ 110 milhões. 

De acordo com Galli, o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) já demonstrou preocupação com o remanejamento, mas se mostrou disposto a aceitar a decisão da bancada.

“O prefeito Emanuel está tranquilo. Ele prefere que essa emenda de bancada seja mantida como a proposta original: que vá para o Estado comprar os equipamentos para o Pronto Socorro. Ele, no entanto, não se opõe, pois está disposto a aceitar o que a bancada decidir. A preocupação dele é que inaugurando o Pronto Socorro, onde iremos conseguir o dinheiro para a compra de equipamentos. De uma forma ou de outra, queremos uma garantia por parte do Governo, para a compra desses equipamentos” afirmou o deputado em entrevista à Rádio Capital FM, Na manhã desta segunda-feira (19).

Segundo o líder, nesta semana o Governo do Estado deve apresentar uma planilha detalhando os números e atrasos na área da saúde. A partir disso, de acordo com Galli, os deputados e senadores irão decidir se destinam ou não o valor.

“Cada parlamentar irá fazer o seu estudo e vamos decidir o que será feito. Os R$ 82 milhões não vão resolver o problema da saúde em Mato Grosso, mas vamos esperar a planilha que o governador prometeu enviar”, declarou.

Galli ainda disse que alguns parlamentares também propõem que emenda de bancada deste ano também seja destinada para o custeio da saúde.

Leia mais:

Bancada concorda em destinar R$ 80 milhões para a saúde, diz Leitão

Poderes podem "postergar" recebimento de duodécimo atrasado

Governo cria comissão para por fim a crise na saúde de Mato Grosso

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE