PUBLICIDADE
LAVA JATO

Léo Pinheiro diz que Lula pediu para destruir provas de propina

Empresário disse em depoimento em Curitiba que documentos tinham registros de pagamento ao tesoureiro do PT

20/04/2017 17h41 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Folhapress

O empresário Léo Pinheiro, sócio da OAS, disse em audiência em Curitiba que o presidente Lula pediu para ele destruir provas sobre propinas que a empreiteira pagou ao PT.

Segundo Pinheiro, Lula e ele discutiram sobre propina em maio de 2014, dois meses depois que a Operação Lava Jato ter sido iniciada. Lula teria perguntado se a OAS pagava propina ao PT no Brasil ou no exterior, segundo o relato feito pelo empreiteiro. Léo respondeu que pagava no Brasil, tudo segundo o empresário.

O ex-presidente arguiu se ele mantinha os registros dos pagamentos feitos ao tesoureiro do PT à época, João Vaccari Neto. O empresário disse que mantinha. Foi nesse momento, segundo Léo Pinheiro, que Lula disse para ele destruir tudo já.

A pergunta sobre a discussão de propina com Lula foi feita pelo advogado do petista, Cristiano Zanin Martins, que defende o petista.

Após a resposta de Léo Pinheiro, Martins ficou quieto, segundo relato de advogados ouvidos pela reportagem.

O empresário não esclareceu na audiência se ele seguiu o pedido de Lula ou não.
Condenado a 39 anos de prisão e preso desde setembro do ano passado, Léo Pinheiro negocia um acordo de delação premiada no qual prometeu entregar irregularidades de Lula, do PT e de ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A reportagem não conseguiu resposta do Instituto Lula sobre as declarações de Léo Pinheiro.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE