PUBLICIDADE

Política - Página 1039

Apenas 14 cidades de MT têm Conselhos Municipais de Direitos da Mulher

Apenas 10% das cidades de Mato Grosso dispõem de Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher. A informação foi repassada terça-feira (30-04), quando se celebra o Dia Nacional da Mulher, pela defensora pública e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Rosana Leite.

Feliciano põe projeto sobre 'cura gay' para ser votado

Feliciano põe projeto sobre 'cura gay' para ser votado

  O chamado "projeto de cura gay" será votado pelo plenário da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados no próximo dia 8, segundo decisão do presidente Marco Feliciano (PSC-SP). A proposta pretende suspender artigos de resolução de 1999 do Conselho Federal de Psicologia (CFP), segundo os quais profissionais da área não podem atribuir caráter patológico à opção sexual.

Governo gastou R$300 mi com locação
VEÍCULOS

Governo gastou R$300 mi com locação

  Em dois anos de mandato do governador Silval Barbosa (PMDB), a Secretaria de Administração do Governo (SAD) licitou cerca de R$300 milhões em locação de veículos.

MPE quer suspensão do Edital 013/2013
COBRANÇA

MPE quer suspensão do Edital 013/2013

  O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) abriu inquérito para apurar a legalidade do Edital 013/2013 para contratação de empresa que terá autonomia para fazer cobrança da dívida ativa do Estado, estimada em R$14 bilhões.

CUT debate reforma política com Abicalil

CUT debate reforma política com Abicalil

  Carlos Abicalil (PT), ex-deputado federal e atual assessor da liderança do governo no Congresso Nacional participou de debate na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep). O tema central foi sobre reforma política e fortalecimento do processo de democratização do Brasil. Participou também o presidente da Central Única dos Trabalhadores do estado (CUT/MT), João Luiz Dourado e Gilmar Soares, secretário de Formação Sindical da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação e Secretário de Comunicação do Sintep/MT.   Em entrevista ao CIRCUITO MT, Abicalil disse que “o parlamento não corresponde à demanda da sociedade civil por isso devemos discutir as questões e levantar a bandeira”. Entre as questões discutidas estão o financiamento público de campanha (maior bandeira do PT atualmente), fim da coligação proporcional, debate sobre lista de candidatos aberta ou fechada, número de reeleições do poder legislativo entre outras.   Ele comentou sobre a obstrução que ocorre no Congresso Nacional para votar a reforma política e defende que esse voto deve ser dado por um colegiado e não só “por quem tem pretensões políticas futuras, como os deputados e senadores”. O ex-deputado também informa que as centrais sindicais – principalmente a CUT- corroboram com uma forma viável que a reforma política não dependa exclusivamente de quem tem mandato.   Afinadíssimo dentro do PT e se declarando contra a propositura de calar a boca do Supremo Tribunal Federal (STF) proposta por um deputado de seu partido, Abicalil justificou muitas mazelas que ocorrem no Congresso e com candidatos “ficha suja” colocando-as como oriundas de ações do STF.    Questionado sobre a reprovação das contas de Ságuas Moraes (PT) à frente da Secretaria de Educação do Estado (Seduc) pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), disse que quando isso ocorre “deve-se ater se foi crime ou apenas irregularidade, pois crime leva à inegibilidade e irregularidade a multas”, declarou o ex-deputado.     Por Rita Aníbal, da reportagem  

Sindicalistas rechaçam pesquisa da AMM

Sindicalistas rechaçam pesquisa da AMM

Quinze entidades, entre sindicatos e associações, repudiam as declarações dadas pelo economista Paulo Rabelo, contratado pela Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) em parceria com a Assembleia Legislativa, de que um dos principais gargalos do Estado é o aumento das despesas com a folha de pagamento dos servidores públicos.

Silval endurece discurso contra AL
DECRETO 1528

Silval endurece discurso contra AL

  Diante a insistência do presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD), com apoio irrestrito dos demais deputados, de anunciar que vai derrubar o Decreto 1.528 – que centraliza os recursos na Conta Única do Estado, e cuja chave do cofre está nas mãos do secretário de Fazenda, Marcel de Cursi – o governador Silval Barbosa (PMDB) reage ainda mais incisivo.

“PEC 37 viola o regime democrático”
PEC 37

“PEC 37 viola o regime democrático”

Em breve a Câmara Federal deverá votar a Proposta de Emenda à Constituição nº 37. Conhecida como PEC da Impunidade, ela pretende tirar o poder de investigação criminal dos Ministérios Públicos Estaduais e Federal, modificando a Constituição Brasileira.