PUBLICIDADE

Polícia - Página 697

Pará põe grávida em cela de homens e viola direitos humanos, acusa OAB

Pará põe grávida em cela de homens e viola direitos humanos, acusa OAB

A presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Luanna Thomaz, acusa o Estado de violação dos direitos humanos no caso da mulher grávida de dois meses que denunciou ter sido mantida em uma cela com seis homens na cidade de Chaves, na ilha do Marajó.

Quadrilha saqueia 3 agências bancárias e Correio em Vila Rica

Quadrilha saqueia 3 agências bancárias e Correio em Vila Rica

Da Redação Mais de 20 assaltantes saquearam o Banco do Brasil, Bradesco, Sicredi e os Correios na cidade de Vila Rica (1100 km de Cuiabá). O grupo agiu como o “Novo Cangaço” simultaneamente na manhã de quinta (9), com forte armamento de fuzis e pistolas.

Polícia faz nova reconstituição do caso Amarildo

Polícia faz nova reconstituição do caso Amarildo

A Polícia Civil concluiu na madrugada de hoje (9) uma nova reconstituição para tentar esclarecer o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo Souza, visto pela última vez no dia 14 de julho, após ser levado por policiais militares para uma averiguação na sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, na zona sul do Rio.

Servidor público atira em filho de um ano após discussão em Cuiabá

Servidor público atira em filho de um ano após discussão em Cuiabá

Um homem de 49 anos atirou no próprio filho de 1 ano de idade durante a noite deste domingo (8) no Bairro do Porto, em Cuiabá. De acordo com informações do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciosp), a criança estaria passando o fim de semana com o pai, na casa dele. Familiares foram buscar o menino, quando ocorreu uma discussão e o pai atirou contra o filho.

Filho suspeito de matar pai à facadas para defender mãe em Várzea Grande

Filho suspeito de matar pai à facadas para defender mãe em Várzea Grande

Um rapaz de 23 anos é procurado pela polícia por suspeita de matar o pai dele, de 45 anos, na madrugada deste domingo (8), no bairro Santa Luzia, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Conforme a Polícia Militar, o crime teria ocorrido durante uma briga envolvendo a mãe do suspeito, que teria cometido o crime na tentativa de defendê-la de supostas agressões do pai.   Ainda de acordo com a polícia o jovem desferiu entre sete e 10 facadas contra o pai, que morreu no local. A vítima já teria histórico de agressão contra a esposa e de homicídio, segundo o delegado Valfrido Franklin Nascimento, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que atendeu a ocorrência. "A mãe disse que o filho irá se apresentar à polícia", disse o delegado.   A polícia informou ainda que os parentes estranharam o fato, já que o filho tinha boa convivência com o pai. Em 2007, a vítima chegou a ser presa após confessar ter matado o próprio irmão em uma disputa por terras, em Chapada dos Guimarães, a 65 quilômetros da capital. Na época, ele contou tê-lo assassinado com cinco disparos de arma de fogo na frente da família do irmão, em uma residência no bairro Pedra 90, em Cuiabá.   G1/MT  

Pais policiais de Marcelo Pesseghini ensinaram filho a burlar leis

Pais policiais de Marcelo Pesseghini ensinaram filho a burlar leis

O estudante Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, foi influenciado por uma série de fatores que os levou a matar os pais, a avó e a tia-avó e depois cometer suicídio. As informações são do laudo psicológico sobre o crime, que faz parte do inquérito do caso, ao qual a Folha teve acesso.   O laudo psicológico do IC (Instituto de Criminalística) cita a culpa dos próprios pais por burlar leis e incentivar Marcelo a cometer atos ilegais. O sargento da Rota (tropa de elite da PM) Luís Marcelo Pesseghini, 40, teria ensinado o menino a manusear armas. A mãe, a cabo do 18º batalhão de Polícia Militar Andreia Regina Bovo Pesseghini, 36, teria ensinado o garoto a dirigir.   Antes de matar os pais, filho de PMs disse que não gostava de histórias com finais tristes   De acordo com a análise, esse conjunto de fatores prova a ausência de regras, "que primeiramente deve ser imposta pelo pai, que segundo a psicanálise é a lei".   Médicos chegaram a estimar que o garoto vivesse até os 4 anos devido a uma fibrose cística --doença degenerativa que ataca principalmente os pulmões e sistema digestivo. Posteriormente, afirmaram que, possivelmente, não chegasse aos 18.   Devido à doença, o menino era proibido pelos pais de brincar na rua e de sair com os amigos, o que o irritava.   O laudo aponta que vários fatores levaram o menino a ter um surto psicótico e cometer a sequência de assassinatos. Marcelo era um menino "de poucos amigos, que passava horas jogando videogame, especialmente o violento 'Assassins Creed'", no qual o personagem principal é um assassino de aluguel. No jogo, entretanto, se o jogador matar pessoas inocentes poderá ser punido, segundo o laudo. O texto diz que a atenção excessiva do menino ao jogo reflete uma tentativa de fuga da realidade. Isso o fez criar um grupo com amigos da escola chamado "Mercenários", cujo objetivo era matar desafetos, inclusive membros da família.   De acordo com a conclusão psicológica, os pensamentos de se tornar um matador de aluguel passaram a se tornar persistentes, confundindo a realidade com a fantasia.   MATAR A DIRETORA   Segundo o laudo, esse conjunto de fatores foram decisivos para que o menino tivesse motivos para matar a família e cometer suicídio. Entretanto, o garoto ainda poderia ter assassinado outras pessoas.   Segundo a análise, a intenção dele era se ver livre de todos que o oprimiam. Um vídeo que mostra o menino chegando à escola após matar os pais demonstraria que ele teria encarnado o personagem matador, o que "ficou certificado através de passadas largas."   O laudo explica que isso prova que ele ainda tinha a intenção de matar alguém que, segundo as investigações da Polícia Civil, seria a diretora do colégio Stella Rodrigues, na zona norte da capital paulista. Amigos do garoto relataram à polícia que ele já havia relatado por diversas vezes a intenção de matar a família.   "ROTA É FODA"   Um dos laudos mostra um relatório de conversas entre Marcelo Pesseghini e uma prima dele no dia 13 de maio deste ano. As informações foram apreendidas no tablet do menino.   O garoto interrompeu o discurso duas vezes com a frase "rota é foda". Na primeira delas, há uma grande repetição das consoantes para dar uma entonação de grito à frase.   A garota respondeu à primeira mensagem com a mensagem "oi filho vc está bem?". Minutos depois, a menina disse diversas vezes que o amava, sem obter resposta.   O garoto volta a dizer "rota é foda", e a menina diz que ele era "fofinho da priminha", que é respondida: "não é nada fofo".   O comandante-geral da PM, Benedito Roberto Meira, disse que Marcelo costumava ir ao batalhão da Rota com o pai, mas não tinha históricos de violência na escola.   Familiares de Marcelo tiveram acesso ao conteúdo dos nove laudos da perícia sobre o caso. A apresentação dos documentos sobre o crime foi feita por policiais do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), que investigam o caso. Entretanto, a família ainda não acredita que o menino tenha cometido o crime.   Folha. com  

Polícia Judiciária Civil padroniza denominação das delegacias

Polícia Judiciária Civil padroniza denominação das delegacias

A Polícia Judiciária Civil padronizou a nomenclatura das Delegacias de Polícia do Estado de Mato Grosso, por ordem crescente e ordinal. As unidades passam a designação de 1ª, 2ª, 3ª Delegacia de Polícia e assim sucessivamente.   De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, Anderson Garcia, a mudança na identificação das unidades policiais busca facilitar a comunicação organizacional interna e também promover maior identificação com a sociedade. “Além do início do resgate da competência circunscricional territorial de ação, visando a aproximação com à população”, disse.   A nova denominação das unidades policiais em ordem crescente ordinal foi aprovada pelo Conselho Superior de Polícia, no dia 24 de julho, em consonância com o Decreto Governamental 1.852/2013, que dispõe sobre a estrutura organizacional da Polícia Judiciária Civil, que criou as Delegacias Regionais de Cuiabá, Várzea Grande e Primavera do Leste.   Sofreram mudanças na denominação as unidades policiais de Cuiabá: A Central de Ocorrência passa ser chamada de 1ª Delegacia de Polícia – Centro. O antigo Centro Integrado de Segurança e Cidadania (CISC) do Planalto, passa a nomeação de 2ª Delegacia de Polícia - Carumbé. Na sequência vêm: 3ª Delegacia de Polícia - Coxipó; 4ª Delegacia de Polícia – N.Sra da Guia; 5ª Delegacia de Polícia – CPA (ainda não instalada); 6ª Delegacia de Polícia – Cidade Alta (não instalada).   Em Várzea Grande as delegacias passam a seguinte designação: 1ª Delegacia de Polícia -   Centro (antiga Municipal); 2ª Delegacia de Polícia - Cristo Rei (antigo Cisc Parque do Lago); 3ª Delegacia de Polícia - Jardim Glória.   Em Barra do Garças, as unidades do centro e do bairro São José passam a denominação de 1ª Delegacia de Polícia – Centro, (antiga Municipal) e 2ª Delegacia de Polícia - São José.   Em Rondonópolis duas unidades também mudaram os nomes. São elas: 1ª Delegacia de Polícia – Centro (antigo Cisc) e 2ª Delegacia de Polícia - Vila Operaria.   Nos municípios com apenas uma unidade policial, a nomenclatura permanece  Delegacia de Polícia. As Delegacias Especializadas não sofreram alterações.   Assessoria/PJC-MT  

Travesti tenta matar cliente que se recusou a pagar o programa em Tangará

Travesti tenta matar cliente que se recusou a pagar o programa em Tangará

Uma tentativa de homicídio foi registrada no início da manhã deste sábado (07) em Tangará da Serra, 240km de Cuiabá. O crime que aconteceu na Rua 3 com a 26, envolveu um travesti que tentou matar um cliente que se recusou a pagar pelo programa.      A vítima Sebastião Peres Filho, 40 anos, recebeu vários golpes na cabeça desferidos com um rodo. A ação foi filmada por uma testemunha que inclusive acionou o Corpo de Bombeiros. Depois do ocorrido, a Polícia Militar conseguiu localizar o suspeito, Evan da Silva, 34 anos, fez sua prisão em flagrante e o encaminhou ao Cisc.      De acordo com o soldado Sidinei Nascimento, a princípio a guarnição foi solicitada para atender a uma briga. Quando chegou ao local, se deparou com a vítima caída ao chão apresentando um corte grande na cabeça e várias lesões nas costas. Sebastião teria feito um programa com o acusado na Rua 26, mas não quis pagar. “Eles chegaram a entrar em luta corporal, e o travesti iniciou então com a sequência de pauladas na vítima”, relata.     Repórter News  

Motorista de posto de saúde é preso por tráfico de drogas

Motorista de posto de saúde é preso por tráfico de drogas

O motorista de um Posto de Saúde do Distrito de Nossa Senhora da Guia, Benedito da Conceição e Silva Filho, foi preso na sexta-feira (06), acusado de tráfico de drogas. As denúncias foram apuradas pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil.   Em cumprimento de mandado de busca na residência do suspeito, no Distrito da Guia, investigadores da Delegacia de Entorpecentes apreenderam, no muro do canil, 8 trouxinhas de cocaína e outras duas pedras de pasta-base próximo ao “casinha” do animal, além de uma tesoura e recortes de plástico e tubo de linha.Os apetrechos estavam embaixo de uma tábua no quintal da casa.   Com suspeito, conhecido também por “Ditinho”, os policiais encontraram R$ 327 em dinheiro. A delegada Juliana Chiquito Palhares disse havia denúncias de que o motorista utilizava a ambulância do posto de saúde para levar entorpecente para o Distrito, nas ocasiões que vinha a Cuiabá trazer pacientes. Porém, isso não ficou comprovado, pois nada foi encontrado no veículo.   O motorista foi autuado por tráfico de drogas e encaminhado a uma unidade prisional de Cuiabá.    Assessoria/PJC-MT