PUBLICIDADE
VIOLÊNCIA

Operação cumpre mandados contra quadrilha envolvida em assalto em Juína

O grupo invadiu uma propriedade rural, rendeu e agrediu o casal de proprietários; roubo foi planejado para quitar uma dívida de drogas que um dos assaltantes tinha com a líder de uma facção

Da Redação

Equipe

07/12/2021 09h31 | Atualizada em 07/12/2021 13h48

Uma força tarefa foi deflagrada pela Polícia Judiciária Civil (PJC) nesta segunda-feira (6), para desarticular uma quadrilha envolvida em assaltos no município de Juína (720 km de Cuiabá–MT). Ao todo, foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva e outros três de busca e apreensão na Operação Debitum. Um adolescente também foi apreendido.



Os suspeitos tiveram o envolvimento identificado em um roubo ocorrido no dia 31 de agosto, na zona rural do município, em que o grupo armado invadiu uma propriedade rural e agiu com extrema violência contra o casal de donos. Os assaltantes agrediram e fizeram diversas ameaças de morte durante toda a execução do roubo.

Logo que a Polícia Civil foi acionada dos fatos, a equipe da Delegacia de Juína iniciou as diligências para colher elementos que levassem a identificação dos autores do crime. Em uma semana de investigação os envolvidos no roubo foram identificados, tendo cada um deles uma conduta específica na consumação do crime.

Uma das mulheres envolvidas no crime foi identificada como líder de uma facção criminosa atuante nas regiões de Alta Floresta e Juína e seria a responsável por fornecer as armas de fogo utilizadas no roubo. Segundo as investigações, o crime foi planejado com o objetivo de “quitar” uma dívida de drogas que um dos assaltantes tinha com a líder da facção.



Outros envolvidos também tiveram funções específicas como conseguir informações sobre a propriedade em que o roubo seria executado, com o objetivo de conduzir os assaltantes até o local e indicar o melhor momento para entrada na residência.

A outra mulher ficou responsável por buscar as armas e reunir o grupo antes da empreitada criminosa e o seu convivente foi um dos executores do roubo.

Diante dos elementos apurados durante as investigações, o delegado regional Marco Bortolotto Remuzzi representou pelas ordens judiciais de prisão e busca e apreensão que por se tratar de crime organizado, foram decretadas pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá e cumpridas na segunda-feira (06) com a deflagração da operação.

Dois dos suspeitos envolvidos na estavam presos por envolvimento em outros crimes e tiveram o mandado de prisão cumprido dentro da unidade prisional. “Foi um crime de grande repercussão na cidade por ter sido empregado grande violência contra as vítimas e que foi esclarecido pela Polícia Civil graças ao empenho dos investigadores e escrivães desta unidade, que não mediram esforços para identificar a autoria dos envolvidos”, disse o delegado.



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE