PUBLICIDADE
FEMINICÍDIO

PJC prende jovem acusado de matar e atear fogo em corpo de mulher em Tabaporã

De acordo com as investigações, a vítima e o suspeito mantinham uma relação extraconjugal; polícia acredita que a mulher estava viva quando foi queimada

João Freitas

Repórter

03/07/2020 13h56 | Atualizada em 03/07/2020 16h21

PJC prende jovem acusado de matar e atear fogo em corpo de mulher em Tabaporã

Internet

A Polícia Judiciária Civil (PJC) cumpriu, nesta quinta-feira (2), dois mandados judiciais, sendo um de prisão preventiva e o outro de busca e apreensão, contra um jovem de 21 anos suspeito de envolvimento no assassinato de Jaqueline dos Santos, 24 anos. O crime ocorreu em junho deste ano no município de Tabaporã (643 km de Cuiabá-MT).



De acordo com as informações, a vítima foi encontrada carbonizada no último dia 20, próximo a um frigorífico da cidade. O caso foi comunicado à polícia pela mãe de Jaqueline. Ela contou que a filha foi vista pela última vez por volta de meio-dia, no dia anterior, quando saiu de casa e disse que voltaria em breve.

Segundo as investigações, Jaqueline tinha um relacionamento extraconjugal com o acusado. Ele teria levado a mulher até uma região isolada e atirado contra a cabeça dela após uma breve conversa.

Os investigadores ainda apontam que, após desferir o disparo, o rapaz teria ido até um posto de combustíveis para comprar etanol e retornado até o local do crime, onde teria derramado o líquido inflamável sobre a vítima e, em seguida, ateado fogo na mulher. Os indícios coletados indicam que Jaqueline estava viva quando teve o corpo queimado.



Diante das evidências, o delegado Carlos Henrique Engelman, responsável pelo caso, representou pela prisão do jovem, que foi deferida pela Justiça Estadual. Durante o cumprimento das ordens judiciais, os agentes da PJC localizaram um revólver, que teria sido utilizado no crime, e o telefone celular da vítima, que foi roubado pelo suspeito após o crime.

O acusado foi conduzido para a delegacia de polícia, onde foi autuado por porte ilegal de arma de fogo e indiciado por feminicídio triplamente qualificado. Após os procedimentos de praxe, o jovem foi encaminhado para a Cadeia Pública de Porto dos Gaúchos, onde segue à disposição da Justiça.

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE