PUBLICIDADE
OPERAÇÃO REDITUS

Polícia prende 57 integrantes de facção envolvida com tráfico, tortura e roubos em MT

Conforme as investigações, o grupo era bem estruturado, com divisão de tarefas entre seus membros, responsável por grande parte das ocorrências praticadas na região do sul do Estado

João Freitas

Repórter

17/01/2020 16h33 | Atualizada em 17/01/2020 17h54

Polícia prende 57 integrantes de facção envolvida com tráfico, tortura e roubos em MT

Internet

A Polícia Judiciária Civil concluiu, nesta quinta-feira (16), o inquérito que investigava uma facção criminosa suspeita de envolvimento em diversos crimes como tráfico de drogas, tortura, roubos e corrupção de menores, na cidade de Rondonópolis (210 km de Cuiabá–MT). Ao todo, 57 pessoas foram presas pela força tarefa, denominada Operação Reditus.



A ação foi deflagrada em dezembro de 2019 pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf). Conforme as investigações, o grupo era bem estruturado e ordenado, com divisão de tarefas entre seus integrantes, responsável por grande parte das ocorrências praticadas na região do sul de Mato Grosso.

Durante monitoramento da associação, foi possível mapear o funcionamento, com a identificação dos membros e suas respectivas funções. As principais características dentro do grupo eram hierarquia, organização pré-definida com disciplina e gerentes, fluxo financeiro com pagamento de mensalidades, taxa sob o tráfico de droga, extorsão de empresários, entre outros.

A Operação Reditus tinha como objetivo dar cumprimento a 108 ordens judiciais, sendo 67 mandados de prisão preventiva e 41 de busca e apreensão domiciliar. Durante os trabalhos, 57 alvos, alguns já recolhidos em unidades prisionais no Estado, tiveram as ordens judiciais de prisão cumpridas, sendo 45 presos em Rondonópolis, 10 em Pedra Preta, um em Cuiabá e um na cidade Amambai-MS.



A operação também resultou na apreensão de R$ 12 mil em dinheiro, oito veículos (cinco carros e três motocicletas), avaliados em R$ 300 mil, além do fechamento de dois estabelecimentos comerciais utilizados pelo grupo criminoso para lavagem de dinheiro e 18 volumes de informações produzidos durante a investigação.

O procedimento investigativo presidido pelo delegado Santiago Rozendo Sanches e Silva foi encaminhado para a 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá. “Foi uma das maiores operações já realizadas em Rondonópolis, desarticulando o grupo criminoso que atuava no município e região, destacando a volta do controle estatal em regiões antes dominadas pelo crime”, disse o delegado.

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE