PUBLICIDADE
MONSTRO

'Não me arrependo', diz homem que arrancou coração de tia em Sorriso; assista

Em entrevista, assassino admitiu que estava sob os efeitos de drogas no momento do crime

João Freitas

Repórter

11/07/2019 10h18 | Atualizada em 11/07/2019 17h55

'Não me arrependo', diz homem que arrancou coração de tia em Sorriso; assista

JK Notícias

Após matar a facadas e arrancar o coração de Maria Zélia Cosmos, 55 anos, Lumas Costa da Silva, de 28 anos, diz não se arrepender do que fez com a própria tia, no dia 2 de julho, em Sorriso (398 km de Cuiabá-MT). Depois de prestar depoimento na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) nesta quarta-feira (10), ele confessou o crime com naturalidade, em entrevista aos jornalistas.



“Eu matei ela mesmo e não me arrependo. Ela mereceu morrer. Ela estava me sacaneando, estava falando pelas minhas costas, me chamando de veado, ela ficou me difamando, me chamando de drogado. Ela ficou arrumando confusão pra mim lá no bairro. Eu só queria paz. Mas, ela ficou teimando em fazer isso”, disse o assassino.

Ele também admitiu que estava sob os efeitos de uma droga sintética – que provoca alucinações e mudanças repentinas de humor – quando cometeu o crime e disse que não planejou matar a tia. Lumar ainda destacou que o universo, supostamente, “conspirava” para que ele cometesse a barbárie.

“No dia do crime, eu tomei LSD. Eu fumo maconha e LSD. Mas, não foi nada planejado, foi acontecendo [...] Eu ouço o universo. O universo fala comigo sempre. Uma voz falava pra mim, mata ela, mata ela logo. Ela tem que morrer, ela tem que morrer”.



Questionado sobre a sua relação com a mãe, Lumar demonstrou raiva e revelou que sofria agressões na infância. Segundo informações da Polícia Civil, ele morava com a genitora até ser expulso de casa, por ter ameaçado-a com um facão, no Estado de São Paulo. Dias depois ele chegou a Mato Grosso e matou a tia.

“Minha mãe é um demônio, aquela praga. Ela me batia, espancava e enforcava quando eu era pequeno. Eu briguei com ela antes de vir para Sorriso. Eu queria matar aquela desgraçada por tudo que fez comigo”.

Após prestar depoimento, Lumar foi reencaminhado para o Centro de Ressocialização de Sorriso (CRS), onde está preso preventivamente.

Ele deve ser indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e pode pegar de 12 a 30 anos de reclusão.

O assassinato

Lumar chegou a casa de Maria Zélia em 28 de junho. Apesar do pouco tempo de estadia, o acusado já tinha se desentendido com vizinhos. O estopim se deu quando a tia teria descoberto que o sobrinho era usuário de drogas e o mandou para sair de casa.

Ele estava morando temporariamente em uma quitinete, arrumada pelo primo. Mas tomado pela raiva, decidiu ir atrás da tia para assassiná-la.

O criminoso invadiu a residência de Maria Zélia e a esfaqueou nas regiões do pescoço e do tórax. Não satisfeito, ele abriu o peitoral da vítima e arrancou o coração. Após a monstruosidade, o assassino colocou o órgão em uma sacola e entregou para a prima, filha da vítima.

O homem ainda tentou fugir sequestrando a filha da prima, de apenas sete anos, mas foi impedido por um vizinho, que acionou a Polícia Militar. O homicida saiu e roubou o carro da filha da vítima. Na fuga, ele tentou colidir o veículo contra uma estação de rede elétrica, para acabar com a energia da cidade. Lumar foi capturado pela PM instantes depois.

 

 

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE