PUBLICIDADE
RECUPERAÇÃO

Após 17 dias Hya Girotto deixa UTI e passará exames clínicos neste sábado (12)

Hya que vem tendo uma ótima recuperação, já havia se levantado da cama e dado os primeiros passos no último dia 04 de janeiro

Jefferson Oliveira

Jornalista

11/01/2019 11h26 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Após 17 dias Hya Girotto deixa UTI e passará exames clínicos neste sábado (12)

Reprodução/ArquivoPessoal

A jovem Hya Girotto, 21, única sobrevivente do atropelamento que matou outras duas pessoas  em frente a casa noturna Valley Pub, na Avenida Isaac Póvoas, no dia 23 de dezembro deixou a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) após realizar um procedimento cirúrgico no ombro esquerdo.

Hya que vem tendo uma ótima recuperação, já havia se levantado da cama e dado os primeiros passos no último dia 04 de janeiro. A jovem de acordo com as informações do irmão, já está se alimentando sem ajuda de sonda, e caminha com auxílio de fisioterapeutas.

A cirurgia realizada na quarta-feira (09), foi a terceira realizada na jovem que se recupera no Hospital Geral Universitário (HGU). Em uma recente postagem em uma rede social, familiares da jovem postaram que Hya passará por um exame de angiotomografia no tórax neste sábado (12).

A angiotomografia é um exame rápido onde a equipe médica irá avaliar placas de gordura ou cálcio no interior das veias e artérias do corpo, além de servir para visualizar com clareza o fluxo sanguíneo de Hya, no local examinado.

O caso

Hya, Myllena de Lacerda Inocêncio, 22, e Ramon Alcides Viveiros, 25 anos, deixavam a boate por volta de 05h da manhã do dia 23 de dezembro, e caminhavam e dançavam na referida avenida, conforme imagens divulgadas pela polícia, quando em determinado momento, foram atingidos por um veículo Renault Duster Oroch, conduzido por Rafaela Screnci da Costa Ribeiro.

Os policiais que atenderam a ocorrência, no boletim de ocorrência, narram que Rafaela apresenta sinais visíveis de embriaguez, e se recusou a fazer o teste do bafômetro. A própria Rafaela contou aos policiais que havia feito a ingestão de quatro latas de cerveja horas antes do acidente.

O laudo da Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) concluiu que não foi possível identificar o consumo de bebida alcoólica por parte de Rafaela, e com base neste laudo, na audiência de custódia, a condutora que atropelou as três pessoas, foi liberada mediante pagamento de fiança no valor de R$ 9,5 mil.

Ramon foi levado inicialmente para o Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá e posteriormente transferido para um hospital particular da Capital onde acabou falecendo no dia 28 de dezembro passado.

Hya também foi para o pronto-socorr de Cuiabá, porém foi transferida por ordem judicial para o Hospital Geral Universitário por necessitar de uma cirurgia cardíaca.

A Delegacia Especializada de Delitos em Trânsito (Deltran) investiga o caso.

Leia mais:

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE