PUBLICIDADE
DECON

Falso dentista é flagrado em exercício ilegal da profissão em Cuiabá

Segundo o presidente do CRO-MT, Luiz Evaristo, o processo de investigação foi iniciado por meio de uma denúncia anônima

Da Redação

Equipe

14/09/2018 11h03 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00 1 comentario

Falso dentista é flagrado em exercício ilegal da profissão em Cuiabá

Divulgação

Em ação conjunta com a Delegacia Especializada do Consumidor (Decon) e o Procon Municipal, fiscais do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT) verificaram mais um caso de exercício ilegal da profissão no estado. Desta vez em Cuiabá, a ação de investigação estava em curso há dois meses.

A vistoria ocorreu na quinta-feira (13) e resultou na condução do auxiliar de protético Jean Villis Martins da Silva, 41 anos, que atuava no bairro Novo Paraíso, para esclarecimentos na Decon.

Na clínica, Jean supostamente realizava diversos procedimentos relacionados à área de atuação dos cirurgiões-dentistas sem a devida habilitação e inscrição no Conselho. Lá também foram encontrados receituários – sem o nome completo e número de registro profissional –, que o investigado utilizava em orçamentos para clientes e foi entregue para a Decon como evidência do exercício ilegal da profissão. 

Segundo o presidente do CRO-MT, Luiz Evaristo Volpato, o processo de investigação foi iniciado por meio de uma denúncia anônima. “Recebemos a informação de que o suposto profissional exercia a função de cirurgião-dentista sem a devida formação e registro profissional. Fato que foi constatado pela fiscalização”.

Volpato complementa que, “após a fiscalização e o registro do boletim de ocorrência, o CRO protocolou uma notificação e irá entrar com processo contra a clínica e a responsável técnica pelo estabelecimento por acobertamento de irregular", explica. O boletim de ocorrência foi registrado pelo delegado Antonio Carlos de Araújo. 

LEGISLAÇÃO

 De acordo com a Lei nº 5.081/66, o exercício da Odontologia só poderá ser praticado por cirurgiões-dentistas habilitados, com diploma de graduação e registro no Conselho Regional de Odontologia (CRO) do Estado. O Código Penal, em seu artigo 282 pune o exercício ilegal da Odontologia sem habilitação ou diploma com uma pena de seis meses a dois anos de prisão e cumulada à multa.

DENÚNCIAS

O CRO-MT apura, por meio de denúncias recebidas, infrações às leis que regulamentam as profissões que compreendem seu quadro de inscritos e o Código de Ética Odontológico. Todo cidadão pode comunicar supostas irregularidades ao Conselho – inclusive, de forma anônima.

Uma das formas de evitar ser atendido por um falso profissional é recorrer ao site do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT). A página permite que as pessoas façam uma pesquisa, usando o nome do profissional, para saber se ele está devidamente registrado no órgão.

Para a realização de denúncias anônimas não é necessária a identificação. Basta apenas que sejam informados dados do denunciado que possibilitem a sua identificação e apuração dos fatos. Além disso, é necessária a narração detalhada do ocorrido, bem como o envio de documentos comprobatórios da irregularidade, caso possua – como, por exemplo, folders e fotografias.

Após a denúncia, a equipe de fiscalização do Conselho irá a campo para constatar a veracidade das informações e tomar as providências cabíveis, conforme prevê o Código de Ética.

Vale destacar que as denúncias sobre a suspeita de atuação clandestina e demais irregularidades podem ser feitas pelo telefone 0800 723 2510 / (65) 3644-2002, por e-mail (fiscal@cromt.org.br) ou por meio do site do CRO-MT (http://www.cromt.org.br/denuncia), de forma anônima.

FONTE: Assessoria

1 COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE