PUBLICIDADE
JUNHO VIOLETA

Mato Grosso é o 7º estado mais violento do País contra o idoso

Entre os maiores crimes registrados no estado estão negligência e abandono

Jefferson Oliveira

Jornalista

14/06/2018 07h30 | Atualizada em 18/06/2018 16h16 9 comentarios

De acordo com dados do Ministério dos Direitos Humanos (MDH) em Mato Grosso, o número de denúncias no disque 100 relacionadas à violência contra o idoso cresceu 13,16% em comparativo com os anos de 2016 e 2017. Os números apontam que em 2017 o estado ocupou a sétima posição no ranking de violência contra essa faixa etária.

O tipo de ocorrência mais registrada em 2017 no estado foi o crime de negligência, que teve 200 casos. Logo atrás, a ocorrência com maior índice de registros é a violência psicológica, denunciada 138 vezes durante o período.

A negligência ocorre quando a família ou instituições em que o idoso se encontra não oferecem ou negam cuidados básicos para a proteção física, social e emocional do idoso. Entram nesse grupo privação de remédios, falta de proteção contra o frio ou calor e negligência com a higiene da pessoa. Pode acontecer o abandono do idoso também, que é considerada a forma mais extrema de negligenciar aquela pessoa.

Entre os crimes de negligência catalogados pelo MDH em Mato Grosso, o desamparo e a não responsabilização tiveram 187 registros, ou seja, os mato-grossenses abandonam os idosos quando eles mais necessitam de um amparo; e o segundo maior índice desse tipo de ocorrência no estado é a negligenciar alimentação: houve nada menos que 106 casos desse tipo em 2017.

Ainda segundo o caderno, a violência psicológica é quando há qualquer tipo de menosprezo, preconceito, desprezo e discriminação. Inclui agressões verbais, gestuais ou qualquer ação que forem feitas para humilhar, assustar, aterrorizar ou isolar a pessoa do convívio social. Esse tipo de violência é o segundo mais comum e pode gerar solidão, depressão, tristeza e sofrimento mental para o idoso.

No estado, dos 313 casos de violência contra idosos registrados em 2017, em 159 as vítimas foram mulheres e 115, homens, nas outras ocorrências as vítimas não foram catalogadas de acordo com o sexo. Em Mato Grosso, entre as maiores vítimas estão idosos entre 66 e 70 anos, diferente da média nacional, que fica entre 76 e 80 anos. Entre essas vítimas, os idosos pardos são os que mais registraram ocorrência em 2017.

Mês é voltado para prevenção contra violência à idosos

Problema que aumenta

O mês de junho é marcado pela conscientização da população em relação à violência contra o idoso, que cresce gradativamente a cada dia. A Organização nas Nações Unidas (ONU), juntamente com a Rede Internacional de Prevenção à Violência Contra a Pessoa Idosa, determinou que o dia 15 de junho seja o Dia Mundial da Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa.

A cor violeta, segundo Rômulo Leandro Alves, criador do Junho Violeta, é para chamar a atenção da população, que ao invés de violentar a pessoa dê uma violeta para o idoso. Em todo o Brasil, a conscientização é debatida para combater todo e qualquer tipo de violência contra idosos.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil atualmente tem uma população de 26 milhões de pessoas idosas com 60 anos ou mais, o que representa 13% da população brasileira. Sendo que a maior parte (20,95 milhões) vive em áreas urbanas e é composta por mulheres (13,84 milhões). O país atingiu também a marca de 49.177 centenários(as).

Entre as maiores vítimas idosas no Brasil estão as mulheres, sendo 63,51% dos casos, mais da metade do que os homens, que aparecem sendo vítimas em 31,80% das ocorrências. Entre as maiores vítimas estão idosos com entre 76 e 80 anos, representando 17,90% dos casos. A maioria das vítimas desse intervalo de idade é de cor branca.

Entre os criminosos registrados e identificados, a maioria é de mulheres na faixa etária entre 36 e 40 anos e de cor branca. Em Mato Grosso, os perfis dos agressores ou que praticam crimes contra idosos têm as mesmas características da média nacional.

Segundo os dados do MDH, filhos são os que mais praticam crimes contra os pais idosos e a maioria desses delitos acontece na própria residência das vítimas.

Em relação à proteção da pessoa idosa, o presidente Michel Temer sancionou o projeto de lei (11/2018), que institui 2018 como o Ano de Valorização dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa.

A lei institui ações como a divulgação da Convenção Interamericana sobre a Proteção dos Direitos Humanos dos Idosos, assinada pelo Brasil em 2015, além de articulação para unir os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário em torno de medidas para incentivar ações de valorização da pessoa idosa.

Foto: ilustração

Casos recentes de violência em Mato Grosso

Um casal idoso foi rendido, amarrado e roubado na noite de terça-feira (12) em uma residência localizada na comunidade Planalto, no município de Colíder (650 km da capital).

Segundo informações locais, a Polícia Militar foi procurada por uma pessoa que relatou que na chácara do seu sogro estaria acontecendo um roubo. Imediatamente os policiais foram ao local indicado e se depararam com as vítimas assustadas e amarradas.

Em conversa com o proprietário do imóvel, E.S.L., 71, ele relatou que dois homens encapuzados chegaram ao local por volta das 19h30, anunciaram o roubo e o amarraram junto com sua esposa A.G.L., 73, e passaram a subtrair os objetos da residência.

Foram levados do local celulares das vítimas, perfumes e a quantia de R$ 1.600,00. Para fugir da propriedade os ladrões utilizaram a moto das vítimas. Os suspeitos durante a fuga passaram por um local aonde a motocicleta veio a atolar, então eles a abandonaram e fugiram para uma região de mata.

A PM chegou a fazer rondas na região, mas não localizou os suspeitos. A Polícia Civil investiga o caso.

Em Cáceres (225 km de Cuiabá), um idoso de 63 foi agredido e passou por momentos de terror na mão de criminosos que invadiram a sua residência e roubaram a quantia de R$ 4 mil.

A Polícia Militar foi acionada para comparecer na Rua das Hortências, no bairro Jardim Padre Paulo, para atender a ocorrência de roubo e chegando ao local se deparou com a vítima que relatou que estava em casa quando três ladrões invadiram o imóvel, sendo que dois estavam fazendo uso de arma de fogo, e anunciaram o roubo.

O idoso contou que os criminosos o amarraram e amordaçaram e iniciaram as buscas por objetos na casa, além de o agredir com socos, pontapés e coronhadas na cabeça. A PM chegou a realizar buscas, mas até o momento os criminosos não foram localizados.

No dia 12 de abril, um latrocínio foi registrado em uma fazenda no município de Castanheira (779 km de Cuiabá), onde José Geraldo de Souza, 47, foi morto e seu pai José Luiz de Souza, 81, ferido.

De acordo com as informações locais, os criminosos invadiram a sede da fazenda para cometer o roubo e renderam pai e filho. Antes de efetuarem o roubo, os criminosos acabaram atirando e matando José Geraldo e feriram com agressões José Luiz que foi socorrido por uma ambulância e encaminhado a uma unidade de saúde na cidade de Juína (735 km da capital).

A Polícia Militar foi ao local do latrocínio, realizou rondas na região, mas não conseguiu localizar nenhum suspeito. A Polícia Civil esteve no local do crime e foi informada que os bandidos levaram do local armas de fogo, uma motocicleta, um cheque no valor de R$ 200 e outro no valor de R$ 8 mil.

Saúde do idoso em Mato Grosso

Em agosto de 2017, o Circuito Mato Grosso retratou a vida de 404 idosos que participam de um projeto no Centro de Convivência de Idosos João Guerreiro, no bairro Altos do Coxipó, em Cuiabá.

No local são oferecidas atividades físicas, assistência social e aulas de alfabetização e informática. A equipe é composta por oito profissionais que diariamente se dedicam a cuidar de 120 idosos que passam por ali.

Para se cadastrar é preciso ter 60 anos e estar munido de documentos pessoais, RG, CPF, comprovante de residência, cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), Número de Identificação Social (NIS), encaminhamento médico para poder fazer aula de hidroginástica, atestado dermatológico e cardiológico.

O coordenador da unidade, Diego Henrique, conta que a procura é muito grande por parte dos idosos para a prática das aulas de hidroginástica, ginástica laboral e informática. “A grande maioria está sempre antenada, vem, participa e se a piscina não está funcionando eles buscam fazer outro tipo de atividade”.

Alguns idosos chegam até o Centro após serem aconselhados por médicos ou ouvirem de alguém próximo que participa das atividades lá desempenhadas. “Nós temos exemplos de idosos que chegam com reclamações de problemas para se locomover, dores como artrose, osteoporose, problemas para mover os braços. A partir daqui, eles começam a fazer suas atividades na hidro e gradativamente veem que houve uma melhora”, explicou Diego.

As aulas de hidroginástica acontecem de segunda a quinta-feira, na parte da manhã. A escola de alfabetização funciona segunda, terça, quarta e sexta-feira. Já yoga, é toda terça e sexta-feira e artesanato todos os dias de manhã e na segunda-feira à tarde. E às quintas acontece o famoso baile dos idosos.

“Qualquer idoso, cadastrado ou não, pode vir dançar das 13h às 17h, com música ao vivo. Temos uma média de 100 idosos que participam do baile. A única exigência que nós fazemos é que eles venham com traje adequado. Homens de calça e mulheres com saia ou vestido abaixo dos joelhos, pois já tivemos problemas”, informou o coordenador.

Foto: Andrea Lobo / Fornecer qualidade de vida à idosos ajuda a reduzir casos de violência

Como prevenir a violência contra a pessoa idosa

A prevenção tem como principal objetivo evitar as diversas manifestações da violência contra a pessoa idosa, detectando situações e fatores de risco e a efetiva intervenção nas suas consequências.

Para prevenir é preciso haver ferramentas que subsidiem a prática assistencial cotidiana em busca da melhoria integral da qualidade de vida das pessoas idosas, incluindo a valorização dos riscos e sobretudo a intervenção dos profissionais, preferencialmente quando feita por uma equipe interdisciplinar.

Entre as diversas circunstâncias que podem favorecer a violência contra a pessoa idosa vale destacar a dependência em todas as suas formas (física, mental, afetiva, socioeconômica); desestruturação das relações familiares; existência de antecedentes de violência familiar; isolamento social; psicopatologia ou uso de dependências químicas (drogas e álcool); relação desigual de poder entre a vítima e o agressor.

O caderno de violência contra a pessoa idosa explica que não é fácil detectar a violência contra o idoso e por muitas vezes o fenômeno permanece velado e escondido pelos protagonistas. Entretanto, detectar a violência é uma necessidade e uma responsabilidade do profissional de saúde.

Os profissionais devem estar conscientes de que enfrentarão alguns obstáculos e barreiras que poderão dificultar ou interferir. É preciso reconhecer e superar as dificuldades. Elas podem vir das próprias pessoas idosas, das famílias, dos cuidadores, dos próprios profissionais e até mesmo da sociedade que não enxerga a violência contra a pessoa idosa.

O não reconhecimento da existência da violência contra a pessoa idosa é também um grande problema. A negação é uma das dificuldades mais comuns e frustrantes para a detecção e informação da violência contra a pessoa idosa. A vítima mostra-se reticente a admitir que está sofrendo maus-tratos e a situação vivenciada.

É preciso romper com este silêncio e todas as formas de violência precisam ser enfrentadas. O caderno explica que o maior antídoto contra a violência é a ampliação da inclusão na cidadania. Como prevê o Estatuto do Idoso, todas as formas de aumentar o respeito, todas as políticas públicas voltadas para sua proteção, cuidado e qualidade de vida precisam considerar a participação dos idosos, grupo social que desponta como ator fundamental na trama das organizações sociais do século XXI.

9 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. This is a great article thanks for sharing this informative information. I will visit your blog regularly for some latest post. I will visit your blog regularly for Some latest post. Lycopene

  2. It is perfect time to make some plans for the future and it is time to be happy. I've read this post and if I could I desire to suggest you some interesting things or suggestions. Perhaps you could write next articles referring to this article. I want to read more things about it! Copper

  3. This is a fantastic website , thanks for sharing. Detox Water

  4. You know your projects stand out of the herd. There is something special about them. It seems to me all of them are really brilliant! Burn Fat

  5. Good to become visiting your weblog again, it has been months for me. Nicely this article that i've been waited for so long. I will need this post to total my assignment in the college, and it has exact same topic together with your write-up. Thanks, good share. Head Lice

  6. Just pure brilliance from you here. I have never expected something less than this from you and you have not disappointed me at all. I suppose you will keep the quality work going on. Kiwano

  7. You know your projects stand out of the herd. There is something special about them. It seems to me all of them are really brilliant! Raisins

  8. I see some amazingly important and kept up to length of your strength searching for in your on the site Rooibos Tea

  9. Fortunately, understudies can without much of a stretch take care of their issues by swinging to Best exposition composing administration and working with experienced scholars. Essay Writing Help

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE