PUBLICIDADE
USUÁRIO DE DROGAS

Durante fuga, homem morre baleado após apontar arma para policial

Policiais perseguiram o suspeito que fazia uso de drogas na região do Bairro Jardim Leblon

Jefferson Oliveira

Repórter

19/06/2017 08h07 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Foto: Reprodução

Um homem morreu baleado na noite deste domingo (18), após fugir e ameaçar matar policiais com um revólver calibre 38. A vítima, que ainda não teve a identidade divulgada, foi baleado na Rua 3 de Janeiro, no Bairro Jardim Leblon, em Cuiabá-MT.

Os policiais militares da Companhia do Bairro Três Barras foram acionados para atender uma ocorrência de Maria da Penha. Ao chegarem no local, os policiais foram recebidos a pedradas pelos populares. Foi solicitado reforços e a oficial de área solicitou que fosse realizada uma varredura na região.

Em rondas, uma viatura conseguiu identificar alguns indivíduos fazendo uso de drogas, próximo ao campo de futebol. Ao descerem para realizar a abordagem,  um suspeito fugiu em uma bicicleta pelas ruas do bairro. Um soldado começou a perseguir o foragido a pé e ordenou que ele se entregasse e parasse.

O suspeito desceu da bicicleta, sacou um revólver calibre 38 e apontou para o policial, que para se defender efetuou dois disparos na direção do suspeito. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e encaminhou o baleado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Morada do Ouro.

O médico que atendeu o ferido disse que o tiro acertou a região lombar do suspeito e só uma das balas acertou a vítima. A Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) e Polícia Civil foram acionadas para irem ao local do crime, porém, a cena foi modificada pelos próprios moradores e parentes que lavaram o local que estava com sangue.

A bicicleta foi apreendida, assim como o revólver calibre 38 com quatro munições - sendo duas intactas e duas percutidas e não deflagradas. A pistola utilizada pelo soldado também foi entregue na delegacia para as medidas cabíveis.

A Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) e a Politec estiveram na UPA para a liberação do corpo para o Isntituto Médico Legal (IML). Uma pessoa identificada pelo apelido de “Batata” ligou no celular do suspeito, porém não soube informar o nome ou apelido do dono do aparelho. 

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE