PUBLICIDADE
UNIDADE ESPECIAL

SOE: a força especial dos agentes penitenciários de Mato Grosso

Atualmente, o SOE conta com 160 profissionais e o sindicato cobra do Governo a realização de cursos e capacitação dos agentes

Jefferson Oliveira

Repórter

19/03/2017 15h45 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00 1 comentario

Foto: Reprodução

Criado no ano de 2010, o Setor de Operações Especiais (SOE) tem atuado dentro dos presídios de Mato Grosso como uma força auxiliar dos agentes prisionais. Ao atuar em estabelecimentos penais, o principal objetivo do SOE é o de proporcionar segurança interna e externa, em substituição a Polícia Militar.

Em entrevista ao Circuito Mato Grosso, o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindispen-MT), João Batista, explicou da atuação da unidade dentro das penitenciárias e do seu início. 

“Toda força de segurança tem uma unidade especializada, o agente penitenciário é uma força de segurança, então a partir daí, se viu a necessidade da criação da unidade para atuar nos presídios, já que a PM não faria mais esse serviço”, disse.

O SOE, segundo João Batista, teve como base de pesquisa outros Estados que já possuíam forças especiais.

“O Sindispen fez uma pesquisa e avaliou unidades de outros Estados como Rio de Janeiro, que desde 1989 já tem força especial, e São Paulo, que possui o Grupo de Intervenção Rápida (GIR) criado em 2001. Com base nos modelos e estudos, foi apresentado ao Governo a proposta de criação”, declarou.

No ano de 2010 houve o primeiro "Curso de Operações Penitenciárias Especiais (Cope)", que durou sete meses e capacitou 48 agentes penitenciários para atuarem nas forças especiais. No ano de 2011, teve o II Cope que teve coordenação da escola penitenciária, com duração de quatro meses, capacitando 115 agentes. Hoje o SOE conta com 160 homens.

De acordo com João Batista, o SOE atua em operações de alto risco dos presídios, como motins, recaptura de presos, rebeliões com ou sem reféns, ações em presídio com maior grau de execução e planejamento estratégico, retomada de controle carcerário e escolta de presos com alta periculosidade.

“A primeira grande ação e operação que contou com o SOE, foi no ano de 2013, na chamada “Operação Legalidade” onde vários celulares, drogas e armas artesanais foram apreendidos em posse dos detentos”, lembrou ele, que também informa que em uma varredura na Penitenciária Central do Estado (PCE), em um mês, 1.000 celulares foram apreendidos.

A unidade conta com granadas, armas calibre 12, espingardas com bala de elastômero, gás de pimenta e pistolas spark, dispositivo elétrico incapacitante não letal desenvolvida para uso das forças policiais, mais conhecida como armas de choque.

O presidente do sindicato espera novos agentes e realização de mais cursos para aperfeiçoar ainda mais os trabalhos nas penitenciárias.

“Já tivemos vários avanços nos últimos anos, porém é necessário, por parte do Governo, que realize mais cursos especializados, invista em capacitação dos agentes e aparelhe melhor os profissionais”, pontuou.

João Batista espera o Governo homologar os aprovados no último concurso de agente penitenciário, para cobrar o preenchimento de vagas de profissionais na área. 

Confira imagens:

 

1 COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Só moita medo de entrar em presidio

  2. SOE sem dúvida é o divisor de água do sistema . Parabéns a todos , somos grato pela contribuição ao sistema .

  3. QUEM FOI QUE FEZ A OPERAÇÃO LEGALIDADE?????????? SOE ????? KKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!! NUNCA, POR FAVOR, SE ESSE JORNALISMO É SÉRIO, REFAZEM O PARÁGRAFO QUE DIZ QUE FOI O SOE ( POIS É A MAIOR MENTIRA DE TODOS OS TEMPOS ) E DIGAM QUE FOI O GIR , E INCLUSIVE EU ESTAVA LÁ E FUI TESTEMUNHA...................

  4. Parabens pelo trabalho de vcs, muito bom.

  5. Gir quer condenar o soe? ou quer também ficar no ar condicionado. Enfim efetivo tem, falta esses dois grupos hipócritas e de panelas irem para dentro das unidades

  6. So nao tem rebelião graças aos guerreiros e guerreiras q trabalho arduamente em suas unidade Ex do capao q quase numca se viu a cara do soe .

  7. Se querem ser polícia, façam concurso. Carcereiro com síndrome de polícia. Tenho é do. Que venha o mimimimi. Carcereiro querendo ser polícia.

  8. Simplesmente demagogia, uma piada isso... todos dentro sistema penitenciario de Mato Grosso sabem que o Grupo que atuou de fato na Operação Legalidade foi um Grupo de Elite que esta localizado dentro das Unidades prisionais do Estado, combatendo na linha de frente juntamente com os demais agentes 24 hrs, o GIR - Grupo de Intervenção Rápida, que na Operação Legalidade sequer teve respaudo desse presidente alienado... Hipócrita !!!

  9. Boa noite Sr's.... Com a falta de efetivo que o estado está de agentes em serviço... ótimo seria se esses agentes "especiais" estivessem na linha de frente dentro dos presídios somando com os demais e não dentro de um quartel ... Quando se tem um princípio de motim ou revista são os próprios agentes de plantão que dão conta do serviço pois são qualificados para isso... participei da operação legalidade em 2013 e não me recordo desses agentes nessa ocasião.... precisamos de agentes qualificados dentro das unidades prisionais.... isso sim soma com a necessidade... pois todos estamos qualificados pra qualquer missão.....

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE