PUBLICIDADE
AMNÉSIA COLETIVA

Maggi, Riva, Silval, Eder, Mauro... todos já estiveram juntos pelo Mixto Esporte Clube

25/11/2017 15h33 | Atualizada em 27/11/2017 09h46

Maggi, Riva, Silval, Eder, Mauro... todos já estiveram juntos pelo Mixto Esporte Clube

Mixtonet

Eder de Moraes, Blairo Maggi, Silval Barbosa e José Riva já tiveram no passado muitas coisas em comum além dos atuais processos judiciais da Operação Ararath.  Criada em maio de 2009, para “arrecadar fundos para o Mixto Esporte Club”, uma das ultimas ações de José Riva, ainda deputado estadual e ante de sua prisão, foi uma Monção de Apoio à “Associação dos Amantes do Futebol e Amigos do Mixto”.

Eram fundadores e membros efetivos da Associação: José Riva (claro), Blairo Maggi, Márcio Pardal, Eder de Moraes, João Dorileu Leal, Anildo Lima Barros, Mauro Mendes, Silval Barbosa e Eder Pinheiro. A diretoria Executiva e Conselho Fiscal para o Biênio 2009-2010 estáva dividida da seguinte forma: Diretor presidente: Eder Morais; diretor vice-presidente: Anildo Lima Barros; diretor financeiro: José Riva; diretor administrativo: Márcio Roberto Carreto Pardal; diretor de divulgação: João Dorileo Leal; diretor institucional: Silval Barbosa. O Conselho Fiscal é formado pelo presidente: Blairo Maggi; membros: Eder Augusto Pinheiro e Mauro Mendes.

Os planos do grupo era grandiosos, eles queriam lançar o Mixto a “Série A” do futebol nacional antes de Cuiabá sediar a Copa do Mundo em 2014. Nunca chegaram perto disso e o clube, hoje, amarga o esquecimento.

O Time que já foi um dos grandes orgulhos cuiabanos foi fundado em 1934 por Ranulfo Paes de Barros, Maria Malhado, Gastão de Matos, Naly Hugueney de Siqueira, Avelino Hugueney de Siqueira (Maninho), Zulmira Andrade Canavarros, entre outros. Seu nome é uma homenagem justamente ao fato de reunir de forma única mulheres e homens amantes do futebol. Apesar de ser um dos mais queridos times cuiabanos e possuir a maior torcida do Estado, o Mixto só participou do Campeonato Brasileiro em 11 edições, a ultima há  trinta anos, em 1986.

Esquecido por seus “membros diretores”, que afirmam na imprensa que não se falam mais “há anos”, só restou ao Mixto, também ser alvo de ações judiciais. Uma das acusações que pesam contra Moraes é ter usado o time para lavar dinheiro.  O ex-técnico do Mixto Esporte Clube, Cláudio Adalberto Adão, também ingressou com uma ação na Justiça Estadual contra Éder por não pagamento e fraude em notas.

No início de novembro o time voltou às manchetes.  Foi leiloada uma Mitsubishi Pajero HPE 3.2, ano 2013, preta, com bancos revestidos com banco de couro, ar condicionado, em perfeito estado de conservação e funcionamento, que pertencia ao ex-secretário de Estado de Fazenda, Eder de Moraes.

O veículo foi a leilão  justamente por conta de dívidas do Mixto Esporte Clube e da Associação dos Amantes do Futebol e Amigos do Mixto.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE