PUBLICIDADE
PORQUE NÃO CONSUMIRAM

Empresa manda prender clientes e paga indenização simbólica de R$4

Americanos negros esperavam um amigo, mas foram surpreendidos por policiais. Eles aceitaram a indenização simbólica e ganharam uma bolsa de estudos

03/05/2018 12h20 | Atualizada em 03/05/2018 17h51

Empresa manda prender clientes e paga indenização simbólica de R$4

Reprodução

A detenção arbitrária de dois homens negros em um estabelecimento da rede Starbucks no mês passado na Filadélfia, Estados Unidos, foi resolvida nesta quarta-feira (2) com o pagamento simbólico de 1 dólar para cada e uma promessa de criar um programa dedicado a jovens empresários.

As imagens da prisão de Rashon Nelson e Donte Robinson se disseminaram rapidamente pela internet, despertando acusações de racismo e protestos em frente às cafeterias da rede nos EUA.

Os dois foram reprimidos por funcionários do estabelecimento por permanecerem sem consumir nada. Segundo contaram, eles estavam esperando um amigo antes de consumir. A prisão foi capturada em um vídeo de celular e mostrou os homens sendo levados algemados após um gerente os acusar de invasão e perturbação da ordem.

Os dois, contudo, aceitaram a indenização simbólica e a promessa que a Filadélfia investirá 200.000 dólares em programas para jovens empreendedores, segundo um comunicado emitido pela empresa.

Os dois homens e o seu advogado afirmaram que “o acordo é um esforço para garantir que algo positivo saia do incidente”.

“Estou satisfeito por ter resolvido possíveis reivindicações contra a cidade desta maneira produtiva. Este incidente provocou muita dor na nossa cidade e nos colocou sob o foco nacional por motivos indesejados”, disse o prefeito da Filadélfia, Jim Kenney.

O presidente da Starbucks, Kevin Johnson, agradeceu em comunicado a Donte e Nelson “pela disposição para a reconciliação”.

“Agradeço pela oportunidade de começar uma relação com eles para compartilhar aprendizado e experiências. Starbucks continuará tomando medidas derivadas deste incidente para reparar e reafirmar nossos valores e nossa visão do tipo de empresa que queremos ser”, analisou o diretor.

Nelson afirmou que considera “um caso de estar no lugar errado no momento adequado, devido ao resultado que pode ser obtido”.

A Starbucks ofereceu a ambos a oportunidade de completar os estudos universitários com uma bolsa em parceria com a Universidade do Estado do Arizona, disponível apenas para os colaboradores da empresa.

FONTE: Veja

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE