PUBLICIDADE
MUNDO

Funeral de Stephen Hawking acontece neste sábado em Cambridge

O ator Eddie Redmayne, que atou como Hawking no filme "A Teoria de Tudo" (2014), foi um dos primeiros a chegar

31/03/2018 09h40 | Atualizada em 31/03/2018 09h26

O funeral do astrofísico britânico Stephen Hawking, morto aos 76 no dia 14 de março, ocorre neste sábado (31) na Universidade de Cambridge, no Reino Unido. O ator Eddie Redmayne, que atou como Hawking no filme "A Teoria de Tudo" (2014), foi um dos primeiros a chegar, informa a France Presse.

Familiares escolheram a igreja Great St. Mary's, a principal da famosa universidade do leste da Inglaterra, para o velório. Ela está localizada próxima de Gonville e Caius, a faculdade de Cambridge onde Hawking lecionou por 52 anos.

O funeral será abertos a familiares e amigos, seguido de uma recepção na Trinity College, diz a France Presse.

Seus filhos explicaram que escolheram Cambridge, porque "é a cidade que ele tanto amou e que o amava tanto".

Desde a morte de Hawking, milhares de pessoas visitaram a Universidade de Cambridge para assinar o livro de condolências.

Cinzas próximas a Newton e Darwin

Depois do serviço, Hawking será cremado e suas cinzas serão colocadas perto de Newton e Darwin na Abadia de Westminster. A Abadia é o local de repouso de 17 monarcas e de algumas das figuras mais relevantes da história britânica.

O enterro dentro da Abadia de Westminster é uma honra concedida a poucos. Os enterros mais recentes de cientistas foram os de Ernest Rutherford, pioneiro da física nuclear, em 1937 e de Joseph John Thomson, que descobriu os elétrons, em 1940.

Hawking, o cientista mais célebre do mundo, morreu os 76 anos depois de uma vida sondando as origens do universo, os mistérios dos buracos negros e a natureza do próprio tempo.

Assolado pela Esclerose Lateral Amiótrofica, uma debilitante doença neurodegenerativa motora que desenvolveu a partir dos 21 anos, ele passou a maior parte da vida confinado a uma cadeira de rodas.

Devido à deterioração de sua condição, ele teve que recorrer a um sintetizador de voz para falar e ao movimento das sobrancelhas para se comunicar. No dia 14 de março, o astrofísico morreu enquanto dormia após sua saúde deteriorar muito.

FONTE: G1

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE