PUBLICIDADE
CONSELHO VOTOU

Prisão domiciliar é concedida a Zaqueu; Cabo Gerson permanece preso

Quatro coronéis da PM votaram nesta sexta-feira (09) pela manutenção da prisão dos envolvidos no esquema de grampos ilegais em Mato Grosso

Catia Alves

Repórter

Jefferson Oliveira

Repórter

09/02/2018 17h43 | Atualizada em 09/02/2018 18h20

Prisão domiciliar é concedida a Zaqueu; Cabo Gerson permanece preso

Ilustração

O conselho formado por coronéis da Polícia Militar votou e determinou a concessão de prisão domiciliar ao ex-comandante-geral da Polícia Militar Zaqueu Barbosa e a manutenção da prisão do cabo Gerson Luiz Correa Junior. Eles também negaram a liberdade com uso de tornozeleira a Ronelson Jorge de Barros e ao cabo Evandro Lesco.

O juiz Murilo Mesquita Moura, da 11ª Vara Militar de Cuiabá, havia votado pela manutenção das prisões preventivas de Zaqueu e de Gerson, porém o conselho votou diferente. Ambos estão detidos desde maio de 2017, acusados de serem, respectivamente, o líder e o principal operador do esquema de grampos ilegais no Estado.

Nesta sexta-feira (09), durante todo o dia, foi realizada a audiência de instrução sobre o caso e as testemunhas arroladas pelo Ministério Público Estadual prestaram depoimento. Entre elas estão o promotor Mauro Zaque, o servidor público Mário Edmundo, a sargento da Polícia Militar Andrea Cardoso, o cabo Euclides Torezan e o soldado Clayton Dorileo. Os réus ainda não foram ouvidos.

O Ministério Público se manifestou contra as solturas. Descreveram que duas testemunhas relataram sentir medo dos acusados, uma vez que colaboraram com as investigações. Além disso, apontou que três testemunhas arroladas pela acusação ainda vão depor.

Conselho é formado pelos coroneis-PM Elierson Metello de Siqueira, Valdemir Benedito Barbosa, Luiz Cláudio Monteiro da Silva e Renato Antunes da Silveira Junior.

Leia mais 

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE