PUBLICIDADE
IRRF

Tribunal de Contas reprova tomada de contas da Câmara de Várzea Grande

Primeira Câmara não acatou balanço de anos sem recolhimento de imposto de renda de servidores, de quase R$ 900 mil

Da Redação

Equipe

13/09/2017 17h45 | Atualizada em 13/09/2017 17h51

Tribunal de Contas reprova  tomada de contas da Câmara de Várzea Grande

Reprodução/Internet

A Primeira Câmara de Julgamentos do Tribunal de Contas de Mato Grosso considerou irregular a tomada de contas na Câmara de Várzea Grande referente à ausência de recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) descontado dos servidores.

O tribunal disse que o então presidente da Câmara, Waldir Bento da Costa, não comprovou recolhimento do IRRF dos servidores dos meses de agosto a dezembro de 2013, que soma de R$ 255.790,96.

A irregularidade se repetiu em 2014 e chegou a de R$ 623.551,94. A Câmara parcelou a dívida em 120 vezes e, com juros, o valor total chegou a R$ 1.124.467,80, a serem pagos nos próximos cinco biênios.

Em razão dessas irregularidades, o ex-presidente da Câmara, Waldir Bento da Costa, já havia sido multado pelo TCE-MT três vezes.

As penalizações levaram a relatora do processo nº 18.1854/2016, conselheira Jaqueline Jacobsen, a multar o ex-presidente da Waldir Bento da Costa, o que para ela ficaria caracterizado como dupla punição. “Assim, entendo que outra apenação nesse sentido teria o caráter de duplicidade de punição”, afirmou em trecho do voto.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE