PUBLICIDADE
SODOMA 5

Audiências são marcadas para agosto; Lúdio é testemunha

Selma Arruda marcou datas de depoimentos de testemunhas e interrogatórios de réus, que serão ouvidos em setembro e outubro

Airton Marques

Acesse o Blog

17/07/2017 10h07 | Atualizada em 17/07/2017 16h12

Audiências são marcadas para agosto; Lúdio é testemunha

CMT

As audiências referentes a ação penal da 5ª fase da Operação Sodoma foram marcadas para ter início em agosto deste ano. A decisão foi proferida na última sexta-feira (14), pela juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital.

Entre as testemunhas de defesa está o ex-vereador e ex-candidato ao Governo do Estado, Lúdio Cabral (PT), que deve prestar depoimento no dia 28 de agosto. No depoimento, Lúdio deve esclarecer a acusação de que parte do suposto dinheiro desviado no esquema investigado tenha quitado dívida de sua campanha eleitoral de 2012, quando se candidatou à Prefeitura de Cuiabá.

A 5ª fase da Operação Sodoma, deflagrada em fevereiro deste ano, investiga esquema que teria causado prejuízo de R$ 8,1 milhões aos cofres do Estado, entre 2011 e 2014, por meio da exigência de propina dos sócios do Auto Posto Marmeleiro e da Saga Comércio e Serviço de Tecnologia e Informática Ltda, Juliano Volpato e Edézio Corrêa, em troca da concessão de contratos com o Estado.

As audiências começam no dia 18 de agosto, quando testemunhas arroladas pelo Ministério Público Estadual (MPE) serão ouvidas. Entre elas, o ex-secretário de Estado, Pedro Nadaf – réu confesso e delator da operação.

Testemunhas de acusação e defesa serão ouvidos nos dias 21, 28 de agosto e 4 de setembro.

A magistrada reservou os dias 4, 15, 18 e 29 de setembro e 2 de outubro para que os réus sejam interrogados.

Confira as datas e testemunhas:

18 de agosto – testemunhas do MPE e de Silvio Araújo 

Wilson Luiz Pereira (ex-superintendente de Patrimônio e Serviços da Secretaria de Estado de Administração) 

José Roberto Pacheco 

Afonso Gleidson Teixeira (ex-gerente do Posto Marmeleiro) 

Pedro Nadaf (ex-secretário-chefe da Casa Civil) 

21 de agosto – testemunhas do MPE e de Silvio Araújo

Fabio Rodrigues de Carvalhos Alves Costa 

Valter Facheti Torres (sócio da empresa Trimec)

Paulo Cesar Lemes (empresário e delator da Operação Arqueiro)

28 de agosto – testemunhas de Francisco Faiad

Francisco de Assis Amâncio Figueiredo Dorileo (servidor da Secretaria de Gestão)

Flaviano Kleber Taques Figueiredo (advogado)

Mauro Cesar Pereira

Ludio Frank Mendes Cabral (ex-vereador e ex-candidato ao Governo)

Silvia Mara Gonçalves (funcionária da Secretaria de Administração de Várzea Grande)

Arlan Lino de Deus (ex-candidato a vereador)

04 de setembro - testemunhas de Valdísio Viriato

José Alexandre Schutze (presidente do Sindicato da Indústria da Construção Pesado do Estado de Mato Grosso

Edgar Teodoro Borges (dono da Agrimat Engenharia, Indústria e Comércio) 

04 de setembro – interrogatório dos réus

Diego Pereira Marconi (ex-gerente de Restauração e Implantação na Secretaria de Transportes e delator do esquema)

15 de setembro – interrogatório dos réus

Juliano Cezar Volpato (empresário)

Edézio Correa (empresário)

Cezar Roberto Zílio (ex-secretário de Estado de Administração e delator) 

18 de setembro – interrogatório dos réus

Pedro Elias Domingos de Mello (ex-secretário de Estado de Administração e delator)

Alaor Alvelos Zeferino de Paula (delator)

Valdísio Juliano Viriato (ex-secretário adjunto de Transportes e Pavimentação Urbana)

29 de setembro – interrogatório dos réus

Silval da Cunha Barbosa (ex-governador)

Silvio Cezar Corrêa Araújo (ex-chefe de gabinete de Silval) 

02 de outubro – interrogatório dos réus

José de Jesus Nunes Cordeiro (coronel PM e ex-secretário-adjunto de Administração)

Francisco Anis Faiad (advogado e ex-secretário de Administração)

Sodoma 5

Deflagrada no dia 14 de fevereiro, a Sodoma 5 investiga fraudes à licitação, desvio de dinheiro público e pagamento de propinas, realizados pelos representantes da empresa Marmeleiro Auto Posto LTDA e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática  LTDA, em benefício da organização criminosa supostamente comandada pelo ex-governador, Silva Barbosa.

As supostas fraudes em licitações teriam sido realizadas nos anos de 2011 e 2014.

Segundo a Polícia Civil apurou, as empresas foram utilizadas para desvios de recursos públicos e recebimento de vantagens indevidas, utilizando-se de duas importantes secretarias, a antiga Secretaria de Administração (Sad) e a Secretaria de Transporte e Pavimentação Urbana  (Septu), antiga Secretaria de Infraestrutura (Sinfra).

As duas empresas, juntas, receberam aproximadamente R$ 300 milhões do Estado de Mato Grosso, em licitações fraudadas. Com o dinheiro desviado efetuaram pagamento de propinas em benefício da organização criminosa no montante estimado em mais de R$ 7 milhões.

Nesta fase, o ex-governador Silval, o seu ex-cehefe de Gabinete, Silvio Cesar Côrrea Araújo e ex-secretário adjunto de Administração, José Jesus Nunes Cordeiro, tiveram uma nova ordem de prisão decretada. 

Além deles a juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital, decretou a prisão dos ex-secretários Valdisio Juliano Viriato (adjunto de Transportes) e Francisco Anis Faiad (Administração). 

Todos já tiveram os mandados de prisão preventiva revogados.
 

Leia mais

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE