PUBLICIDADE
COLUNA JURÍDICA

Publicado edital do concurso para delegado substituto da PJC

O salário inicial é de R$ 19 mil, com jornada de trabalho de 40 horas semanais. Candidatos devem ter bacharelado em Direito

Da Redação

Equipe

26/03/2017 11h23 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

O Governo do Estado de Mato Grosso publicou o edital de abertura do concurso público para formação de cadastro de reserva para o cargo de delegado de polícia substituto, da Polícia Judiciária Civil (PJC). As inscrições serão feitas somente via internet, no site, no período entre 10 horas do dia 27 de março de 2017 e 18 horas do dia 2 de maio de 2017 (horário oficial de Brasília-DF). A taxa é de R$ 180,00.

O salário inicial é de R$ 19.316,49 com jornada de trabalho de 40 horas semanais. Para concorrer ao cargo da PJC, o candidato precisa ter diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior de bacharelado em Direito, fornecido pela instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

As atribuições consistem em dirigir, coordenar, supervisionar, fiscalizar e controlar as atividades administrativas, logísticas e operacionais da unidade de sua direção; cumprir as funções institucionais de Polícia Judiciária Civil; instaurar e presidir inquéritos policiais, termos circunstanciados e outros procedimentos policiais, administrativos e disciplinares; planejar, dirigir e coordenar, com base na estatística policial, as operações no combate efetivo à criminalidade, na área de sua competência; entre outros deveres e atribuições do cargo.

O concurso obedecerá seis fases. São elas: 1ª fase – provas escritas objetivas e dissertativas, ambas de caráter eliminatório e classificatório; 2ª fase – prova oral, de caráter eliminatório e classificatório, e avaliação de títulos, de caráter classificatório; 3ª fase – exames de saúde, de caráter eliminatório; 4ª fase – teste de aptidão física,  eliminatório; 5ª fase – avaliação psicológica, eliminatória; 6ª fase – investigação social, eliminatória.

O edital completo também se encontra disponível no endereço eletrônico do Cespe.

ARTIGO: Questões discursivas: estratégia para uma boa resposta

Por: Marco Antônio Araujo Junior: Diretor Executivo do Damásio Educacional

Uma das grandes preocupações do candidato a concursos diz respeito à escrita, visto que, além das questões dissertativas, alguns também exigem redação. E é de extrema importância salientar que todas as perguntas precisam ser respondidas com total atenção, mesmo as que aparentam ser mais fáceis ou simples. As de múltipla escolha avaliam o conhecimento e poder de escolha do concurseiro. Já as dissertativas, além do conhecimento empírico, avaliam a interpretação de texto, o poder de síntese e de redação.

A dificuldade de elaborar respostas discursivas é um problema que acompanha muitos concurseiros, por vezes, desde a época do colégio. Para lidar com esse dilema, atente-se a algumas possíveis causas: nervosismo, ansiedade e insegurança.

Nervosismo: a palavra de ordem, nesse caso, é calma! Aos primeiros sinais de desespero, pare tudo o que estiver fazendo e respire profundamente por alguns minutos. Não adianta continuar as atividades sem recompor a calma e sem conseguir se concentrar.

Ansiedade: mesmo estando em dúvida sobre a resposta a uma pergunta, o candidato muitas vezes segue guiado pela tensão do momento e pela ânsia de responder logo e passar para a questão seguinte, e acaba não lendo os enunciados com a devida atenção.

Insegurança: na pressa de escrever tudo o que sabe, para não esquecer nenhum tópico, acaba redigindo de modo não linear, apenas jogando as palavras sem contextualizar o conteúdo. Algumas pessoas priorizam respostas longas, acreditando que, com isso, conseguirão explicar melhor, porém incorrem em mais um erro grave, que é escrever aquilo que não foi perguntado. Acrescente apenas informações fundamentais para o entendimento da resposta.

As dicas são: atente-se ao enunciado e ao que ele pede. Pense com calma no conteúdo que precisa ser colocado nessa resposta e, antes de redigir, monte um roteiro, seja no papel ou apenas na mente, sobre os tópicos que precisam ser abordados. Depois de responder, releia tudo e veja se, além de estar coerente e bem escrito, a pergunta do enunciado foi respondida.

Em provas dissertativas, o concurseiro deve ser direto e mostrar seus conhecimentos. Por mais simples que seja a questão, responda de maneira direta, mas sempre fundamentando o assunto tratado. Seja mais objetivo no início e no fim do texto, demonstrando um pouco mais de desenvoltura no miolo da resposta. Caso não tenha conhecimento suficiente sobre o assunto da questão, evite dar exemplos ou fazer adendos. Isso pode ser arriscado.

Observe os aspectos gramaticais, como ortografia, acentuação, regência, concordância, coerência e sintaxe, para garantir que a escrita esteja correta e bem construída. Vale a pena gastar um pouco mais de tempo na elaboração dessas respostas e se certificar de que esteja o mais perto possível da perfeição.

Se o candidato se apropriar dessas dicas, certamente se sairá bem em qualquer tipo de avaliação que venha a fazer.

CONCURSOS PREVISTOS 

 

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE