PUBLICIDADE
ESTÉTICA É CONSEQUÊNCIA

Em VG, mulheres provam que idade não é barreira para buscar corpo saudável em academia

Marizete e Marlene, cada uma no seu tempo, buscaram praticar exercícios físicos pela saúde e notam muita diferença em seus corpos

Juliana Alves

Jornalista

21/07/2019 11h37 | Atualizada em 21/07/2019 16h35

Em VG, mulheres provam que idade não é barreira para buscar corpo saudável em academia

Juliana Alves

Estética, emagrecimento, saúde e resistência são alguns dos motivos que levam pessoas a buscarem a prática de exercícios em uma academia. “Eu pensava que iria ficar grandona, mas não, foi tudo diferente. Hoje eu estou aquilo que eu queria”, diz Marizete Prado, de 58 anos, sobre os exercícios que pratica em academia há pelo menos 15 anos. Marizete e Marlene Ferreira, 42 anos, são alunas do personal trainer e fisiculturista Admilson Gomes, em uma academia no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande.



Admilson, também conhecido como “Ratão”, é personal trainer há cerca de 25 anos e dono da academia. Ele conta que existem alunos de todas as idades, entre 18 e 62 anos. “Tem exercícios para qualquer tipo de pessoal, em qualquer idade e até deficiência”.

O preparador físico explica que o treinamento depende de pessoa para pessoa e isso muda conforme o tipo e o tempo de treino de cada um. “A Marizete tem 58 anos e o treino é avançado, não tem diferença para uma pessoa de 25 anos”.

Admilson observa que a maioria dos alunos tem acompanhamento médico particular, visto que é uma indicação da própria academia.  “Os benefícios da academia envolvem principalmente a saúde e o bem estar. Muitos melhoram a pressão arterial, controlam o colesterol, fortalecem a coluna”.



Ele conta casos de alunos que já chegaram com dificuldades no andar, mas com o treinamento atualmente já caminha normalmente. Admilson explica que a musculação é essencial, é a base para qualquer atividade física, pois fortalece os músculos do corpo.

Marizete treina há três anos com Admilson
Foto: Juliana Alves

Idade não é barreira

“Eu decidi entrar e fazer exercícios pela saúde. Ela é tudo na vida”. Quem diz isso é Marizete, que há 15 anos frequenta academia, mas somente há três é treinada por Admilson.

“Eu não tenho medo do dia a dia. Envelhecer é para todo mundo, mas quero estar com saúde e bem. Vai chegando a idade, a gente vai se acomodando, mas eu quero a renovação”, declara.

Marizete diz que todo ano vai ao médico para saber como está a saúde, mas a dieta é definida junto de seu personal trainer. Ela é dona de casa, faz doces e crochê e reserva parte do seu dia para a academia.

“Eu sinto uma grande diferença em relação a saúde. Eu não sinto dores, todos os dias me levanto com ânimo... O exercício é tudo na vida da gente. É a qualidade de vida”.

Ela diz que quando se é jovem tudo está bem, que não tem medo de envelhecer, mas ela quer chegar à velhice bem também.

Marizete diz que quase não tem amigos que praticam exercícios, mas nota a diferença na vida deles. “Todo mundo é bem mais jovem que eu e algumas já chegaram na menopausa, mas eu não. Se ela veio eu nem vi”.

Do outro lado temos Marlene, investigadora policial, que também é aluna de Admilson. Ela diz que sempre praticou exercícios esporadicamente, mas com a vida de estresse e um trabalho intenso em três anos engordou 18 quilos.

“Eu fiquei desanimada, procure um médico e ia fazer bariátrica”. Com os exames feitos, cirurgia agendada, mas encontrando resistência de filhos e amigos para apoiarem a operação, Marlene buscou ajuda psicológica.

Marlene perdeu seis quilos em cinco meses de treinamento

“Eu comecei o tratamento e ela me indicou o exercício até ter um tempo para pensar melhor se realmente eu ia realizar a cirurgia”.

Há cinco meses ela iniciou suas aulas, desistiu da bariátrica e emagreceu seis quilos. Marlene explica que basicamente tudo em sua saúde melhorou.

“O treino é intenso, funcional, musculação, muito aeróbico, é bem puxado, mas eu gosto. Foi um ganho tremendo e eu estou focada”.

Marlene diz que o processo é lento por conta de sua idade, do metabolismo ser mais devagar e que ela tem que ter paciência, mas que está satisfeita com os resultados.

“Eu me sentia muito cansada, mas meu sono melhorou, acordo com disposição, tenho produzido bem e me sentindo melhor em casa e no trabalho. No processo de emagrecimento, cada um tem um tipo, o que me faz mais feliz é a disposição e a saúde que eu fiquei”.

Feliz com o resultado de seu esforço, ela defende que estar e se sentir bem, com uma super energia, é o mais bonito. “A estética é consequência”.

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE