PUBLICIDADE
PREPARAÇÃO PARA COPA

Brasil x Rússia se enfrentam em amistoso nesta sexta

Tite arma escalação ofensiva e considera Rússia o "adversário ideal"; veja escalações e táticas de jogo montadas

Da Redação

Equipe

23/03/2018 08h10 | Atualizada em 23/03/2018 14h15

Brasil x Rússia se enfrentam em amistoso nesta sexta

Lucas Figueiredo/CBF

Alisson, Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Paulinho, Casemiro e Philippe Coutinho; Willian, Gabriel Jesus e Douglas Costa. Esta é a Seleção que entrará em campo no estádio Luzhniki, em Moscou, para enfrentar a Rússia no penúltimo amistoso antes da lista final de convocados para a Copa do Mundo.

Taticamente, Tite confirmou o time no 4-3-3 na fase ofensiva e 4-1-4-1 na defensiva. Esse "detalhe" é importante para entender a função de alguns atletas. Coutinho, por exemplo. Nessas formações, o jogador do Barcelona será um meia por dentro, tendo a responsabilidade de fechar a segunda linha quando o time perder a bola, ao invés de avançar e se posicionar ao lado de Gabriel Jesus, caso fosse a variação do 4-2-3-1 para o 4-4-2.

Casemiro, eleito por Gilberto Silva o melhor volante do mundo, segue com sua função de saída de bola com os zagueiros e cobertura. Paulinho, na teoria, deve segurar um pouco mais na marcação, mas não terá seus avanços à grande área restritos. Pelos lados mudanças importantes nas características dos jogadores. Com Willian e Douglas, a Seleção ganha dois atacantes rápidos e habilidosos para darem amplitude e atacarem as pontas.

É uma escalação ofensiva e que Tite queria testar de início há algum tempo. O adversário é ideal para issso.

A Rússia conquistou nos últimos amistosos resultados importantes, como a goleada sobre a Coreia do Sul por 4 a 2, o empate em 3 a 3 com a Espanha e a derrota apertada para a Argentina por 1 a 0. Porém, tecnicamente é muito inferior ao Brasil e vai para o jogo com diversos problemas.

Para formar a linha de cinco defensores, o técnico Stanislav Cherchesov não terá Viktor Vasin e Georgiy Dzhikiya, zagueiros titulares, machucados. Vão perder o Mundial, então ele já pensa e monta a equipe com novas alternativas. Uma seria sacar um zagueiro, mas a tendência é que ele continue com três. Além deles, Guilherme (goleiro reserva), Mário Fernandes, Ruslan Kambolov e Aleksandr Kokorin (também desfalque na Copa) são outros fora do amistoso.

Assim, uma provável seleção russa - nem mesmo os jornalistas em Moscou cravam uma escalação - deve ter Igor Akinfeev, Andrey Semenov, Roman Neustädter e Fyodor Kudryashov; Igor Smolnikov, Aleksandr Golovin, Denis Glushakov, Roman Zobnin e Konstantin Rausch; Aleksei Miranchuk e Fyodor Smolov. Variação tática do 3-5-2 para o 5-3-2, com linha defensiva baixa e transição defesa-ataque muito rápida. Destaque para Golovin, muito elogiado pelo assistente técnico Cléber Xavier na coletiva, pela qualidade no passe.

Tudo isso com previsão de 0oC, sensação térmica de -5 ºC e 69% de probabilidade de neve para o início da partida, marcada para 19h de Moscou (13h de Brasília). 

 

.

FONTE: ESPN

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE