PUBLICIDADE
TÊNIS

Thomaz Bellucci é flagrado em antidoping e suspenso por 5 meses

Tenista brasileiro foi pego por uso de diurético em julho, durante o torneio de Bastad, na Suécia, e poderá voltar a atuar no início de fevereiro

04/01/2018 16h10 | Atualizada em 04/01/2018 16h15

Thomaz Bellucci é flagrado em antidoping e suspenso por 5 meses

Reprodução

O tenista Thomaz Bellucci, atual 112º do ranking mundial, anunciou nesta quinta-feira que foi flagrado em exame antidoping e recebeu suspensão de cinco meses. O paulista de 30 anos foi pego em julho de 2017, durante o torneio de Bastad, na Suécia, por uso da substância hidroclorotiazide, um diurético proibido por ser um agente mascarante. Como não atua desde agosto, quando entrou em suspensão provisória, ele estará livre para voltar às quadras no início de fevereiro. O jogador fará um pronunciamento à imprensa ainda nesta quinta-feira sobre o assunto.

- Jamais tomei algum tipo de suplemento ou qualquer outra substância que fosse me favorecer ou que fosse infringir as regras do fair-play do esporte. Nunca poderia imaginar que um multivitamínico feito por uma farmácia de manipulação pudesse sofrer contaminação cruzada em doses mínimas (...) Foi justamente em um momento que eu estava me recuperando de lesões e fazendo transição importante na minha carreira, de me mudar para a Flórida, montar uma base de treinamentos lá para atingir o meu máximo potencial no circuito nos próximos anos - afirmou Bellucci em nota oficial.

O brasileiro alegou em sua defesa que houve contaminação por conta da farmácia de um suplemento polivitaminico que costuma consumir regularmente. A Associação de Tenistas Profissionais (ATP) vai formalizar a suspensão de Bellucci na sexta-feira, em documento oficial. A defesa do tenista durante o processo sigiloso foi feita pelo advogado Pedro Fida, o mesmo do caso de doping do atacante peruano Paolo Guerrero, do Flamengo.

- Após longa análise dos fatos pela ITF (Federação Internacional de Tênis), a entidade optou por uma pena branda, de cinco meses, o mínimo possível em um caso desses, que poderia ser de até quatro anos, tendo levado em consideração a diligência e a reputação do Thomaz, bem como todas as provas médicas e científicas apresentadas, somadas ao consumo não intencional da substância e à ausência de melhora da performance. A ITF advertiu Thomaz com essa baixa sanção pois entendeu que ele deveria ter checado a procedência do multivitamínico, verificado se a farmácia de manipulação cumpria com as normas regulatórias e se era confiável - explicou Pedro Fida.

A suspensão de Bellucci é válida até 31 de janeiro e, por este motivo, o jogador ficou fora dos torneios na Oceania, como o Aberto da Austrália. Em fevereiro, quando estará livre para atuar, ele deve disputar a gira da América do Sul, iniciando no ATP de Quito, no dia 5 de fevereiro, além do Rio Open, entre 19 e 25 de fevereiro, e o Brasil Open, na semana seguinte.

Nos últimos meses, enquanto corria sua defesa em seu caso de doping, Thomaz Bellucci ficou sem atuar sob a alegação que estaria com uma lesão no tendão de Aquiles. Fora das quadras, o paulista perdeu o posto de melhor brasileiro ranqueado na ATP para Rogério Dutra Silva, hoje 101º do ranking mundial.

Bellucci alcançou o melhor ranking de um brasileiro após Guga Kuerten ao chegar a 21ª posição do mundo em 2010. Ele começou a temporada de 2017 na 61ª colocação.

FONTE: G1

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE