Terça-Feira, 30 de Maio de 2017

Servidores da saúde de MTaprovam indicativo de greve inta

 

Os servidores da saúde de Mato Grosso aprovaram indicativo de greve, que tem previsão de inicio no dia 15 de março. A aprovação ocorreu em assembleia da categoria realizada nesta quinta-feira (260. A medida acompanha a mobilização da Confederação Nacional dos trabalhadores em Educação (CNTE), que também possui indicativo de greve para a mesma data e pauta de reivindicações semelhantes.

Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde e do Meio Ambiente de Mato Grosso (Sisma/MT), Oscarlino Alves, a decisão tem como estopim o déficit no orçamento da Secretaria de Estado de Saúde que já começa com R$ 600 milhões a menos, em relação ao ano passado.

Também é contra as imposições do governo sem dialogo com a categoria, ameaças de corte de ponto no exercício do “Estado Democrático de Direito” prometido em campanha, não cumprimento de acordo com a categoria (homologado na justiça), pelo Concurso Público (15 anos sem concurso), dentre outras imposições.

Para Oscarlino Alves é uma decisão que requer muita reflexão e responsabilidade e vem de encontro com a forma que está sendo gerido o estado. “Não há qualquer abertura de dialogo, embora tenham sido feitas dezenas de solicitações. O ano de 2017 começou com várias unidades de saúde fechadas, dentre elas o Centro de Reabilitação Dom Aquino Correa (CRIDAC), Centro Estadual de Odontologia para Pacientes Especiais (CEOPE), Farmácia de Alto Custo e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Todas têm em comum a falta de insumo, estrutura física sucateada e servidores descontentes e doentes”, afirmou Oscarlino.

De acordo com Oscarlino, decidir por uma paralisação é uma medida extrema, mas de suma importância, pois “demonstra de forma clara e objetiva todas as mazelas que vem passando a população e os servidores públicos mato-grossenses do poder executivo”, afirmou.

COMENTAR