PUBLICIDADE

Economia - Página 733

Tributos que vencem a partir de hoje podem ser pagos por canais alternativos

Tributos que vencem a partir de hoje podem ser pagos por canais alternativos

   Os correntistas afetados pela greve dos bancos podem usar os canais alternativos para pagar os tributos que vencem a partir de hoje (30). Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou que os pagamentos podem ser feitos pelos caixas eletrônicos, pela internet, pelas centrais telefônicas dos bancos e nos correspondentes bancários – estabelecimentos comerciais autorizados a fazer operações bancárias.

Mato Grosso ganhou cinco milionários por semana nos últimos dois anos com lavoura

Mato Grosso ganhou cinco milionários por semana nos últimos dois anos com lavoura

Uma das apostas da empresa Caixa Construções, há cinco anos no mercado cuiabano, é o Forest Hill, um edifício de alto padrão erguido na saída para Chapada dos Guimarães. Ali os apartamentos têm 60 metros quadrados só de varanda, espaço do tamanho de muitos dos novos imóveis à venda na cidade. A área total das unidades varia de 441 a 760 metros quadrados. E a cobertura, duplex, está avaliada em R$ 4,2 milhões.    “Realizamos diversas pesquisas antes de nos lançarmos no setor imobiliário. E percebemos a necessidade de investir em um mercado exclusivo que atenda às necessidades de um consumidor exigente”, diz Antônio Carlos Parente, diretor da empresa, que também já construiu em Cuiabá um condomínio horizontal com campo de golfe e praia artificial. A ideia do grupo é lançar um novo edifício de luxo até o fim do ano.    A revendedora Caramori Motors, com sede na Capital, tem planos para abrir lojas no interior, a fim de incrementar ainda mais as vendas dos carros da montadora inglesa Land Rover, cujos modelos podem chegar a R$ 600 mil, caso do cobiçado Range Rover Vogue.    Em comum, os projetos presentes e os planos futuros da Caramori Motors e da Caixa Construções têm um alvo potencial: os milionários que surgem a cada dia em Mato Grosso, sobretudo os que brotam das imensas lavouras do interior.    “Nosso perfil de consumidor é basicamente pessoas bem-sucedidas, profissionais liberais e empresários, principalmente os do agronegócio”, diz Sandro Caramori, proprietário da revendedora de veículos. Ali metade dos negócios é à vista. “Eles buscam carros que proporcionam conforto, segurança e robustez, aliados ao mais alto padrão de luxo”.    De acordo com a GFK Brasil, que realiza uma pesquisa anual sobre o mercado de luxo, as vendas do setor triplicaram nos últimos sete anos no país, chegando a R$ 20,7 bilhões em 2012. No ano passado, empresas do ramo investiram R$ 2 bilhões. Apesar de São Paulo e Rio de Janeiro ainda concentrarem os maiores investimentos, os centros menores estão a todo vapor.    O otimismo do setor do mercado de luxo cuiabano não é à toa. Mato Grosso ganhou cinco novos milionários a cada semana nos últimos dois anos, vindos em sua maior parte do agronegócio. Entre 2010 e 2012, o número de pessoas muito ricas subiu de 1.435 para 1.961, crescimento de 36% no período, a maior expansão em todo o país. Considera-se milionário quem tem, no mínimo, US$ 1 milhão disponíveis para investimentos.    Os dados são do Haliwell Financial, instituição financeira norte-americana especializada em agronegócio. Aliás, dos 137,8 mil milionários brasileiros, 29,2 mil atuam neste ramo. E quase dois mil em Mato Grosso.    É um engano supor que os milionários do campo sejam apenas sujeitos que, por acaso, se aproveitaram do espetacular salto dado pelas commodities nos últimos anos. Cerca de 65% deles têm curso superior, outros 21% fizeram MBA e 18% foram estudar no exterior após a graduação. E três em cada dez moram no Centro-Oeste.    O levantamento do Haliwell Financial, ao qual o Diário teve acesso com exclusividade em Mato Grosso, mostra a importância do agronegócio para o surgimento de novos milionários brasileiros. “[A participação do agronegócio] É significativa”, resume Emerson Pieri, vice-presidente do banco para a América Latina (Veja quadro). Conforme o executivo, mais da metade (52,4%) dos novos milionários mato-grossenses ergueu sua fortuna no campo.    Cuiabá ainda é a cidade com o maior número de milionários no Estado. Aqui já são 356, um aumento de 23% em dois anos, elevação só igualada por Porto Velho (RO) entre as capitais brasileiras. Em Rondonópolis, o incremento foi de 13% no período. Ali eles já são 126.    O foco do Haliwell Financial são o que eles abreviam como HNWI (High Net Worth Individual), ou indivíduo com alta renda para investir. No mundo inteiro são 12 milhões de pessoas. Daí o estudo do banco para saber onde estão, o que pensam e como tratam suas finanças. Ao menos em Mato Grosso, eles estão se multiplicando e consumindo.   No Poder  

Motoristas vão sair em passeata por melhores condições de trabalho

Motoristas vão sair em passeata por melhores condições de trabalho

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas dos transportes Terrestres de Rondonópolis (STTRR) está organizando para a próxima quarta-feira (2), pela manhã, uma passeata com os motoristas em defesa de melhores condições de trabalho no transporte de grãos no estado de Mato Grosso.   A concentração do movimento está confirmada para acontecer na frente da sede do Ministério Público do Trabalho em Rondonópolis, localizado na Rua Dom Aquino, 419, Jardim Guanabara, a partir das 8 horas do dia 2.   Do local os motoristas seguirão em passeata pelas ruas da cidade até a Praça Brasil. O movimento contará com representantes sindicais de todo o estado e também do presidente da Confederação nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres Omar José Gomes.   “Convocamos você motorista para parar o seu veículo no dia 2 de outubro no local onde estiver para ir se manifestar por melhores condições de trabalho como o fim das filas, melhores condições ambientais, cumprimento efetivo do controle de jornada de trabalho, dentre outras melhorias em defesa dos motoristas”, externa o presidente do STTRR Luiz Gonçalves da Costa.   O manifesto foi aprovado pelos motoristas durante a paralização no Complexo Intermodal de Rondonópolis no dia 11 de setembro passado.   Primeira Hora com Assessoria STTRR  

Shopping Popular se prepara para o dia das Crianças

Shopping Popular se prepara para o dia das Crianças

A proximidade com o Dia das Crianças, no dia 12 de outubro começa a esquentar as vendas, uma ótima opção para quem ainda não sabe onde comprar um presente para o seu filho, o Shopping Popular de Cuiabá conta com aproximadamente 400 opções de bancas que abrangem restaurantes, brinquedos, roupas, sapatos, bijuterias, artigos de pesca e etc. Com o avanço da tecnologia, as mudanças de comportamento das criançadas, os levam a artigos como os eletroeletrônicos que são encontrados no shopping com preços que cabem no seu bolso.    Misael Galvão presidente da Associação espera deste ano que as expectativas superem a do ano passado. “esperamos um crescimento nas vendas para este ano e estamos preparados para atender todos que vierem ao Shopping Popular fazer suas compras, temos de tudo e os clientes sairão satisfeitos daqui”, afirma.   Entre as vantagens de se comprar no shopping, estão à comodidade de reunir em um só lugar vários comércios, o ambiente é totalmente climatizado e conta com uma equipe de segurança e câmeras de monitoramento para fornecer maior tranquilidade, tanto a quem está comprando, quanto a quem está vendendo. É, por exemplo, uma ótima opção de compra no dia a dia para a família cuiabana. O horário de funcionamento é de Segunda a Sábado das 7 às 19h, e a novidade de quem não tem tempo é que o Shopping para melhor atender seus clientes abre aos Domingos e Feriados das 8 às 13h ou até que o último cliente seja atendido.        Assessoria de Imprensa  

Imposto sobre fogão, geladeira e móveis volta a subir na terça-feira

Imposto sobre fogão, geladeira e móveis volta a subir na terça-feira

O governo anunciou aumento do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para fogões, refrigeradores, tanquinhos (itens da linha branca) e móveis a partir de terça-feira, apesar da tentativa da indústria e do varejo de manter a redução do imposto até janeiro de 2014.   As alíquotas vão vigorar até o dia 31 de dezembro deste ano e, na maioria dos produtos, o reajuste foi parcial --quando comparadas com as taxas originais que vigoravam em 2011, antes de o governo adotar pela primeira vez medidas de incentivo fiscal para os setores.   "A decisão foi tomada porque o governo observou um bom comportamento da economia. As vendas estão indo bem nesses setores, a produção vai bem", disse o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland de Brito, responsável pelo anúncio.   "É um aumento, e todo aumento não é bom. Mas o consumidor tem até segunda-feira para comprar com IPI menor", disse Lourival Kiçula, presidente da Eletros, associação de fabricantes.   No caso de refrigeradores, a alíquota subirá de 8,5% para 10% em outubro, originalmente era de 15%. O imposto dos tanquinhos passa de 4,5% para 5%, o inicial era de 10%. Já a alíquota de móveis e painéis de madeira sobe de 3% para 3,5%.   O IPI dos fogões, que passará de 3% para 4%, volta à alíquota inicial, antes de a política de redução do imposto ser adotada para estimular o consumo e a economia.   Somente a alíquota das máquinas de lavar foi mantida em 10%, como sinalizou o governo desde junho. Antes dos incentivos, o imposto sobre esse produto era de 20%.   Além do IPI reduzido, o programa Minha Casa Melhor, que subsidia a compra de eletrodomésticos e móveis para moradores do Minha Casa, Minha Vida, tem aumentado as vendas do varejo.   Nas grandes redes, o impacto desse programa variou de 7% a 8% do faturamento total de agosto, segundo a Folha apurou. O percentual foi informado em uma reunião em que participaram representantes do Magazine Luiza e de grupos como Pão de Açúcar (Via Varejo) e Máquina de Vendas (Ricardo Eletros e Insinuantes), entre outros.   Luiza Trajano, do Magazine Luiza, já havia declarado na semana passada que o efeito chegou a 8% no caso da rede que preside.   Segundo a Caixa, pesquisa indica que os produtos mais vendidos são TVs e notebooks. De 12 de junho até quinta, foram destinados R$ 1,3 bilhão para a compra de produtos. Os Estados que mais contrataram foram MG, BA, SP, GO, RS e RJ.   UOL  

MT economizaria US$ 70 por tonelada se a logística fosse eficiente

MT economizaria US$ 70 por tonelada se a logística fosse eficiente

Por: Sandra Carvalho  Fotos: Mary Juruna   Se Mato Grosso tivesse uma logística à altura do esforço e vontade dos produtores, poderia economizar US$ 70 por tonelada produzindo os atuais 45 milhões de toneladas de grãos e, assim, injetaria na economia anualmente mais de US$ 3,150 bilhões. Os dados foram apresentados durante o Fórum Brasil Central do Agronegócio, em Sinop, Norte de Mato Grosso, quando o debate central foi a logística.

Consumo de etanol subiu mais de 50% em MT
COMBUSTÍVEIS

Consumo de etanol subiu mais de 50% em MT

Por: Diego Frederici   Os combustíveis automotivos estão entre as principais fontes de energia no mundo moderno. Não por acaso, a venda de gasolina, diesel e produtos de origem orgânica é um índice importante de desenvolvimento socioeconômico de uma nação. Algumas matrizes energéticas, no entanto, são mais interessantes para alguns países – ou regiões – do que outras, caso do etanol, que teve consumo 54% maior em Mato Grosso no primeiro semestre de 2013 em relação ao mesmo período de 2012. Os dados são da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

“MT tem todos os atributos”, afirma sócio do Grupo Havan sobre expansão da empresa

“MT tem todos os atributos”, afirma sócio do Grupo Havan sobre expansão da empresa

Por: Sandra Carvalho   A sociedade com um amigo foi o ponto de partida para a abertura da empresa. Da junção dos nomes Hang e Vanderlei (o sócio), nasceu a marca HAVAN. A loja, que começou pequena, nos anos 90, vislumbrou um novo potencial de mercado com a abertura das fronteiras para produtos estrangeiros. Passou a importar tecidos e artigos de baixo valor agregado.

“Vão saquear o Estado!”, diz presidente do Fenafisco sobre terceirização
EDITAL 013/013

“Vão saquear o Estado!”, diz presidente do Fenafisco sobre terceirização

  Por: Rita Anibal Fotos: Mary Juruna   O governo tem fragilizado as fiscalizações tributárias principalmente em infraestrutura, levando à deficiente cobrança da dívida ativa inscrita e à terceirização dessa cobrança. A contratação de terceirizados poderá lesar o Estado: “Vão saquear, roubar e no final vai sobrar para o servidor público que continuará no cargo”. Essa veemente declaração foi do presidente da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), Manoel Isidro dos Santos Neto, em sua passagem por Cuiabá.

Telexfree entra com pedido de recuperação judicial

Telexfree entra com pedido de recuperação judicial

Os advogados da empresa Telexfree (Ympactus Comercial Ltda) ingressaram com pedido de recuperação judicial (antiga concordata) na quinta-feira (19). Caso seja aceito pela Justiça, a empresa terá um período para saldar suas dívidas.