PUBLICIDADE
CENÁRIO POLÍTICO

Ação da Eletrobrás cai 14% após declarações de Bolsonaro sobre privatização

As ações da estatal praticamente zeram os ganhos acumulados no cenário pós primeiro turno das eleições

11/10/2018 08h17 | Atualizada em 11/10/2018 08h19 2 comentarios

Ação da Eletrobrás cai 14% após declarações de Bolsonaro sobre privatização

Reprodução

As declarações pouco animadoras do candidato a presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, sobre privatização e a reforma da previdência pesam nos negócios desta quarta-feira, 10, sobre ações de empresas que integram o conhecido 'kit eleições'.

As ações da Eletrobrás chegaram a recuar 14,64% após o candidato criticar o processo de privatização da elétrica. "A gente vai vender para qualquer capital do mundo? Você vai deixar a nossa energia na mão da China? A gente pode conversar sobre distribuição, mas sobre geração não", afirmou em entrevista à TV Bandeirantes .

As ações da estatal praticamente zeram os ganhos acumulados no cenário pós primeiro turno das eleições, com as prefernciais a R$ 23,16, e as ON registrando declínio expressivo, a R$ 19,57. Na sexta-feira, Eletrobrás PNB encerrou o pregão cotada em R$ 22,61 e a ON em R$ 19,34.

Outras empresas que têm seus papéis penalizados no pregão desta quinta são a Petrobrás, com recuo de 3,84% (PN) e 4,14% (ON). Do setor elétrico, caíam Cemig PN -4,03% e Copel PNB -2,09%, já Sabesp ON cedia 3,75%. Entre os bancos, Banco do Brasil ON registrava baixa de 4,03%, seguido pelos concorrentes Itaú PN -2,53%, Bradesco PN -2,56% e Santander Unit -2,97%.

Entre as siderúrgicas, Usiminas PNB registrava forte queda de 5,29%, seguida por CSN ON -5,25%, Metalúrgica Gerdau PN -3,44% e Gerdau PN -2,68%. Segundo Vitor Suzaki, analista da Lerosa Investimentos, a maior aversão ao risco tende a atingir com mais força ações consideradas mais arriscadas. Vale ON, por sua vez, recuava 1,73%.

Os investidores também repercutemdeclarações do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) sobre areforma da Previdência. O candidato do PSL disse ontem que a reforma da Previdência será tratada "vagarosamente, embora depois tenha recuado dizendo que, se eleito, irá procurar a equipe de Michel Temer para fazer proposta sobre o tema "já para o corrente ano". Uma das ideias seria reduzir a idade mínima de 65 para 61.

Diante das declarações, o mercado passa por ajustes que impulsionam o dólar, após a moeda americana ter acumulado perdas de mais de 8% no mês e caído ontem para R$ 3,7155, refletindo expectativas de investidores de vitória de Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno da eleição presidencial e de andamento das reformas. Às 1302, o dólar à vista estava em alta de 1,13%, a R$ 3,7574. A Bolsa segue o mesmo tom de cautela com a cena eleitoral e recua mais de 2%, em torno dos 84 mil pontos. No mês, o Ibovespa acumula ganhos de 8,50%.

A cautela justifica-se ainda pela expectativa por pesquisa Datafolha, que será divulgada nesta quarta-feira, 10, e de uma definição pela equipe médica se Jair Bolsonaro terá alta para viajar pelo País e participar de debates. Amanhã, está marcado o primeiro debate da disputa presidencial no segundo turno.

FONTE: Silvana Rocha e Fabiana Holtz - Estadão

2 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Originally, racers wore their wool cycling clothing with suspenders to hold them in place and black bib short prevent excess constriction around their waists. In 1979, shoulder straps cycling gear became integrated into the design of Lycra mountain bike clithing. Outdoor-gear manufacturers, like Descente, that served multiple industries developed similar combined bib and suspenders designs Men Bicyclie jersey in the 1980s in tandem for cycling and other sports, notably skiing.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE