PUBLICIDADE
EXPECTATIVA

Comércio e serviços devem abrir mais de 59.000 vagas no fim do ano

A expectativa média é de 7,9% de crescimento nas vendas de fim de ano. Para o período, 41% dos empresários do comércio

10/10/2018 08h38 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Comércio e serviços devem abrir mais de 59.000 vagas no fim do ano

Reprodução/Internet

As portas do comércio e do setor de serviços já estão abertas para as contratações de fim de ano. A estimativa é que sejam abertas cerca de 59,2 mil vagas nos 2 segmentos. O valor é pouco melhor que os 51 mil postos previstos para o mesmo período de 2017.

Os dados são de um estudo realizado pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigente Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), divulgado nesta 3ª feira (9.out.2018).

A economista-chefe do SPC, Marcela Kawauti, afirma que embora o número seja uma pequena fração do contingente de quase 13 milhões de desempregados, mostra uma recuperação gradual da economia e injetam otimismo para o próximo ano.

“Para um país que há pouco tempo fechava postos de trabalho, esse número serve de alento e de oportunidade para muitas pessoas”, diz.

A expectativa média é de 7,9% de crescimento nas vendas de fim de ano. Para o período, 41% dos empresários do comércio e do ramo de serviços acredita que o desempenho de 2018 será melhor que o do ano anterior. 36% acham que será igual e 8% esperam números piores.

Enquanto 17% dos empresários têm a intenção de contratar um novo empregado à equipe no fim do ano, o percentual de empresários que não pretendem contratar para as festas de fim de ano caiu de 82% para 72%, representando a maioria.

Somente 28% dos empresários consultados pretendem contratar mais de 1 novo colaborador, enquanto 46% têm a intenção de contratar apenas 1 funcionário.

De acordo com a pesquisa do da CNDL, a principal justificativa citada para a contratação é reforçar o quadro de funcionários por conta do aumento da demanda no período. Em seguida está o pensamento em melhorar sua competição e o planejamento para lidar com a rotatividade de funcionários.

Entre os empresários que não irão contratar nenhum novo funcionário, 49% deles acreditam que o movimento nas lojas não irá crescer de forma significativa para novas contratações. 15% alegaram não ter verba suficiente para realizar as contratações e 11% considera que o custo não compensa. 17% dos empresários pretendem ampliar as horas trabalhadas por dia da atual equipe, o que já eleva os custos.

Pela pesquisa, 43% dos empresários irão empregar temporários, 33% abrirão vagas formais e 29% vagas informais, sem carteira assinada. 26% devem contratar funcionários por meio do regime de trabalho intermitente, que adota regime de hora móvel. Cerca de 16% dos empresários irá terceirizar a contratação.

Até o momento, 8% dos empresários já contrataram nos meses de agosto e setembro. A maioria das contratações deve ocorrer entre os meses de outubro e novembro. A estimativa é de 28% e 33% das contratações, respectivamente. Em dezembro a previsão é que ocorram 17% das contratações, há poucas semanas para o Natal.

.

FONTE: Poder 360

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE