PUBLICIDADE
AUMENTO

Volume de vendas do comercio varejista cresce 1% de março para abril

Em comparação à abril de 2017, o varejo cresceu 0,6% e acumulou altas de 0,7% no trimestre, de 3,4% no acumulado do ano e de 3,7% no acumulado de 12 meses.

13/06/2018 11h26 | Atualizada em 13/06/2018 10h59

Volume de vendas do comercio varejista cresce 1% de março para abril

Diário do Estado

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro cresceu 1% na passagem de março para abril deste ano. Em março, o varejo teve alta de 1,1%, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com os dados divulgados hoje (13), o varejo cresceu 0,6% na comparação com abril de 2017 e acumulou altas de 0,7% no trimestre, de 3,4% no acumulado do ano e de 3,7% no acumulado de 12 meses.

Sete dos oito segmentos do comércio varejista tiveram crescimento no volume de março para abril, com destaque para equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (4,8%) e combustíveis e lubrificantes (3,4%).

O único setor que não apresentou alta de março para abril foi outros artigos de uso pessoal e doméstico, que manteve-se estável.

O varejo ampliado, que inclui também as atividades de materiais de construção e comércio de veículos e peças automotivas, cresceu 1,3% em abril em relação a março. Os materiais de construção apresentaram aumento de 1,7% no volume de vendas enquanto os veículos tiveram alta de 1,9%.

O varejo ampliado também teve taxas de crescimento de 8,6% na comparação com abril de 2017, 1,1% no trimestre, 7,4% no acumulado do ano e 7% no acumulado de 12 meses.

Receita nominal

A receita nominal do comércio varejista cresceu 1,1% na comparação com março, 1,2% na comparação com abril de 2017, 0,7% no trimestre, 3,7% no acumulado do ano e 3% no acumulado de 12 meses.

Já a receita nominal do varejo ampliado teve altas de 0,8% na comparação com março, 8,5% na comparação com abril, 0,9% no trimestre, 7,5% no acumulado do ano e 6% no acumulado de 12 meses.

.

FONTE: Agência Brasil

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE